Presidente do TJAC reúne juízes para tratar sobre o Planejamento Estratégico 2021-2026

A criação do Planejamento Estratégico do Poder Judiciário Acreano, para os próximos seis anos, foca na missão, visão, macrodesafios e respectivos indicadores de desempenho do Poder Judiciário

A presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargadora Waldirene Cordeiro, coordenou reunião nesta quinta-feira, 18, com os juízes de Direito para tratar sobre o Planejamento Estratégico 2021-2026.

O Planejamento Estratégico é uma metodologia gerencial que, a partir de decisões da Alta Administração, permite estabelecer a linha de atuação a ser seguida pela instituição no cumprimento da estratégia. O planejamento atende a Resolução nº 325 do Conselho Nacional da Justiça (CNJ).

Ao abrir o encontro, a desembargadora-presidente apresentou aos magistrados a equipe que trabalhará na atividade e pediu a colaboração dos juízes no desenvolvimento dos trabalhos. Ela também explicou que, por conta de orçamento, a Administração optou por formar equipe, de dentro do Tribunal de Justiça, para trabalhar no assunto e atender a exigência do CNJ.

“Temos pessoas efetivamente capazes nessa equipe. Temos certeza que esse serviço será feito, mas queremos a colaboração de todos. Não será apenas um trabalho para colocar na porta, mas estará relacionado aos nossos objetivos”, disse.

Na oportunidade, os representantes da Diretoria de Gestão Estratégica (DIGES) apresentaram os pontos necessários para o planejamento e informaram como os juízes podem colaborar.

A criação do Planejamento Estratégico do Poder Judiciário Acreano para os próximos seis anos foca na missão, visão, macrodesafios e respectivos indicadores de desempenho do Poder Judiciário.

Ao elaborar o planejamento, a equipe deverá seguir algumas diretrizes, como: ter prazo de seis anos, observar o conteúdo temático dos macrodesafios e das diretrizes Estratégicas Nacionais, alinhar os planos às propostas orçamentárias, podendo incorporar os indicadores de desempenho dos macrodesafios do Poder Judiciário, entre outros. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) também devem ser levados, no que couber, em consideração durante a elaboração do planejamento.

 

 

Assessoria | Comunicação TJAC