Justiça Comunitária promove dia de lazer para a terceira idade em Capixaba

A vida sedentária na terceira idade vem, cada vez mais, perdendo espaço para as atividades de ginástica e lazer. Pelo menos é o que comprova um grupo composto por mais de 50 idosos de Capixaba, a maioria mulheres, organizado pela professora Marli Fontana desde o ano de 2004.
Falou em arrumar a mochila e pegar a vara de pesca para uma aventura, eles vibram de ansiedade. Na sexta-feira (16), uma hora antes da partida para um dia de lazer organizado pela Programa Justiça Comunitária – Núcleo Capixaba, com destino à Colônia do "Seu Qualhada", todos já estavam à espera do ônibus. Ficar em casa brigando com o relógio passa longe de ser o hobby favorito desse grupo.
 
    
Os convidados pescaram, tomaram banho de açude, deliciaram-se com um almoço, muitas frutas, sombra e água de coco geladinha. No final da tarde, um piquenique com direito a sorteios de prêmios, redes para uma soneca e bolinhas. Isso mesmo, todos ganharam bolinhas para fisioterapia!
Entre os atletas do bem-estar, encontramos o nadador José Franklin da Silva (72), que nem mesmo a deficiência visual o impediu de nadar pela parte profunda do açude. Claro, orientando-se pela voz da flor da terceira idade, Marli Fontana. "É bom demais. Melhor que isso não há. Adoro nadar. Estou muito feliz com esse dia aqui", disse José, que também não deixou de plantar bananeira na água.
 
  

As pescadoras voltaram para casa com o jantar garantido. "Estava muito bom para mariscar. Peguei cará, piau. Para mim isso é muita diversão", afirmou dona Alba de Freitas de Souza (68), mãe de nove filhos.
 

E para quem não quis praticar o nado e a pesca, a equipe do Justiça Comunitária realizou dinâmicas de grupos para animar o dia. Na dinâmica da teia-de-aranha, onde todos falariam um pouquinho de si mesmo, houve até declaração de amor da dona Neném para seu esposo, Francisco Chagas. Meses atrás, os dois começaram uma paquera durante as atividades do grupo e hoje estão casados. Dona Neném aproveitou o momento para dizer aos solteiros da terceira idade que não percam tempo, porque é muito bom ter uma companhia.

"Estou muito feliz com o meu companheiro. Ele é muito importante na minha vida. Por isso digo para todos vocês que estão solteiras arrumar logo um parceiro.Viram só"? Recomendou.

A professora Fontana agradeceu a equipe do programa, já contando com  futura parceria nas atividades do grupo. "Agora, o Justiça Comunitária vai virar parceiro oficial da terceira idade, pois depois desse evento, que foi maravilhoso, vão surgir as cobranças. podem apostar, eles (os idosos) nunca   esquecem esses momentos. O evento realmente foi maravilhoso. As pessoas da melhor idade amaram o dia de lazer e mais uma vez demonstraram que ser idoso não é sinônimo de sedentarismo, tampouco sinônimo de que estão no final da vida", enfatizou.

E acrescentou: "Pelo contrário, tem-se muito a viver e ser feliz depois dos 60, principalmente quando  é possível ter uma qualidade de vida que supra as necessidades físicas sociais e emocionais por meio de parcerias como o do Programa  Justiça Comunitária. Esse evento realizado demonstra que as pessoas da melhor idade já contribuíram muito na formação do mundo em  que vivemos hoje. Nada mais justo do que dispensar parte do nosso trabalho, de nossa dedicação para propiciar a eles dias memoráveis como  esse promovido pela Justiça. Só temos a agradecer", destacou a professora.

A atividade contou com a parceria da Prefeitura de Capixaba, Seaprof, Secretaria de Desenvolvimento Social, Secretaria Municipal em Educação, Secretaria Municipal em Saúde, Varejão Pingo, Baratão Capixaba, Casa de Carne Três Irmãos, Panificadora Styllus, Agropecuária Boi Ouro, vereadores Rômulo Barros, José Augusto, Cláudio Feitosa, Zeca Barros, Kiko, Armando D'áines, Anadir Oliare e Chico Gomes, professoras Zana e Rosangela Costa, empresária Elenilda Xavier, estudante Neivo e os proprietários do local do evento, "Seu Qualhada" e Dona Marta.

Programa Justiça Comunitária

Idealizado e coordenado pela Desembargadora Eva Evangelista, o Programa Justiça Comunitária é desenvolvido pelo Tribunal de Justiça Acreano desde 2002, inicialmente em convênio com o Ministério da Justiça.

Desde 2006 o Programa vem sendo executado em parceria com a Prefeitura de Rio Branco e recentemente foi fortalecido por conta dos convênios nº 034/2008, do TJAC com o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania – Pronasci, do Ministério da Justiça, e nº 700546/2008, com a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. Esta última parceria tornou-se possível pelas emendas parlamentares apresentadas pelos deputados federais Nilson Mourão, Ilderlei Cordeiro, Sérgio Petecão e Flaviano Melo.  Em Rio Branco, o Programa é desenvolvido em 35 bairros carentes, divididos em seis regionais.

No ano de 2009, pela primeira vez, o mesmo trabalho realizado com sucesso na Capital começou a ser colocado em prática em outros dois municípios do Estado – Capixaba e Epitaciolândia -, onde também vem realizando bons resultados na solução rápida e amistosa de pequenos conflitos, por meio da mediação e conciliação. 

Em Capixaba, o Núcelo do Justiça Comunitária funciona de segunda a sexta-feira, no período das 07 às 13 horas, no prédio da Câmara Municipal da Cidade. 
 

(Texto e fotos da Assessoria de Imprensa do Programa Justiça Comunitária – Núcleo Capixaba)

Postado em: Rádio Justiça | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 20/04/2010