Conselho Nacional de Justiça realiza Censo do Poder Judiciário

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) trabalha na realização do Censo do Poder Judiciário, uma pesquisa detalhada sobre o perfil de magistrados e servidores da Justiça. O Censo já começou no Estado de Santa Catarina, por meio de um projeto piloto, mas em breve estará disponível nos sites de todos os Tribunais de Justiça do País.

Além de saber quantos magistrados e funcionários integram o Judiciário, a pesquisa também busca descobrir quantos são do sexo feminino ou masculino, quantos são negros, brancos ou indígenas e qual a idade média dos magistrados e dos servidores.

A intenção é levantar, sistematizar e analisar as informações criando uma padronização sobre as características pessoais ou aquelas relacionadas ao trabalho. Além disso, o Censo do Poder Judiciário servirá como fonte de dados para avaliar políticas de recursos humanos, como por exemplo, a política de cotas para pessoas com deficiência.

O resultado do Censo também é considerado um instrumento importante para o planejamento das políticas públicas do Poder Judiciário, em nível nacional, porque permite comparações entre os tribunais brasileiros.

O Judiciário Acreano conta hoje com 59 magistrados e mais de 1300 servidores efetivos e comissionados. A pesquisa sobre o perfil do servidor da Justiça é um projeto que já havia sido iniciado pelo TJAC, mas, com a informação de que seria realizado pelo CNJ, o presidente decidiu aguardar o Censo nacional. “A princípio, nós faríamos uma pesquisa interna com servidores, mas, com a informação da realização do censo pelo CNJ, resolvemos esperar. Os dados coletados no Censo servirão para nortear a política institucional do TJAC referente a magistrados e servidores sob os mais diversos aspectos. Poderemos aproveitar as potencialidades conforme a capacitação de cada um para buscarmos ainda mais eficiência e qualidade no cumprimento de nossa missão", afirmou o desembargador Roberto Barros.

Quem participa

Magistrados, servidores efetivos e os servidores requisitados de outros poderes para o Judiciário deverão participar do Censo. Já os Servidores do Judiciário cedidos a órgãos do Poder Executivo e Legislativo, estagiários e profissionais terceirizados não poderão participar das pesquisas.

De acordo com o CNJ, o tempo estimado para o preenchimento do questionário do Censo é de 5 minutos. Os dados fornecidos serão mantidos em sigilo de forma que não haverá a identificação dos participantes e os resultados serão divulgados genericamente.

Testes do questionário

As atividades de planejamento e execução do Censo do Poder Judiciário são coordenadas por um grupo de trabalho que durante o mês de junho esteve em Sergipe e Santa Catarina. Eles realizaram testes do questionário e demais aspectos referentes à tecnologia da informação e comunicação.

O trabalho serviu para identificar diversos elementos a serem aperfeiçoados e para melhorar a comunicação institucional será criado por cada Tribunal e Conselho, um e-mail, administrado pelas Comissões Censitárias, para receber possíveis dúvidas dos magistrados e servidores.

 

Postado em: Rádio Justiça | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 09/07/2013