Unidades do Judiciário são aparelhadas com sistema de vigilância eletrônica

A empresa contratada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Acre, para instalar um sistema de vigilância eletrônica nas comarcas do interior, deve concluir os trabalhos do primeiro lote em duas semanas. Os serviços foram firmados através do processo licitatório realizado por meio do pregão nº 11/2009 e processo administrativo 2009.001265-5. O sistema imprime maior modernização e segurança às unidades judiciárias, além de contribuir para melhorar o atendimento à população. 

Ao todo são 26 pontos de vigilância, distribuídos em 15 municípios. Até o momento havia sido concluída a instalação nos Fóruns de Senador Guimard, Plácido de Castro, Sena Madureira e Acrelandia. Nesta sexta-feira (7) foi iniciada a instalação em Mâncio Lima e Cruzeiro do Sul. "Estamos cumprindo um cronograma elaborado pela direção do Tribunal de Justiça", disse o empresário Legy Vasconcelos.

Os dispositivos instalados são: sensor de presença; sensor de quebra de vidros; câmaras de infra-vermelho para captação de imagem noturna, instaladas nos cofres de armas; botão de pânico (reservados às balconistas); e teclado de acesso para armar e desarmar o sistema, o que será realizado por um servidor que estará munido de senha. 

O investimento do TJAC reduzirá os custos com segurança. A forma tradicional de segurança humana custa mensalmente cerca de R$ 9 mil. Enquanto isso, a vigilância eletrônica custará, pelo mesmo período, aproximadamente R$ 2 mil. 

A vigilância eletrônica será implementada, em breve, também na Comarca de Rio Branco.

O que é o sistema de vigilância eletrônica

A empresa prestará serviço de monitoramento remoto de sistemas de alarmes e de vistoria de pronta resposta por 24 horas, 7 dias por semana, com fornecimento de equipamentos e serviço para instalação e configuração do sistema de alarme, além de segurança física dos prédios, instalações, móveis, equipamentos e documentos constantes nas dependências dos edifícios do Poder Judiciário Estadual.

Serão instalados sensores de movimento (leitura de massa e temperatura) que, diante da presença humana, são acionados automaticamente. Há os sensores de detecção de quebra de vidro.   Assim, quando os vidros são quebrados – como numa invasão ou arrombamento -, as sirenes são disparadas. Imediatamente, a equipe da empresa de segurança se dirigirá ao local. O sistema também conta o CFTV (Circuito Fechado de Televisão), que quando detecta qualquer movimento, grava automaticamente.

Além disso, há o aparelho de acionamento de pânico móvel e fixo, que, quando acionados, enviam sinal à central da Vigiacre. Em caso de queda de energia, toda vigilância eletrônica funcionará normalmente, alimentado por bateria. Quando necessário, será realizada ronda constante no patrimônio.

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 07/08/2009