Tribunal de Justiça do Acre presta homenagem ao desembargador Jorge Araken

 O Tribunal de Justiça do Acre prestou uma homenagem, no final da tarde dessa quinta-feira (8), ao desembargador aposentado Jorge Araken. O ato foi

conduzido na casa dele pelo presidente da instituição, desembargador Roberto Barros, sendo prestigiado pelo desembargador Pedro Ranzi, corregedor geral da Justiça; pelos desembargadores aposentados Ciro Facundo e Arquilau Melo; pela professora Edir Marques, servidores e familiares do homenageado.

“Fico emocionado, professor, por ter a honra de visitá-lo, de ter sido seu aluno e de hoje integrar a Corte de Justiça Acreana, que o senhor tão bem integrou. Este dia significa um reconhecimento a sua história de vida, mas também uma aula de seu conhecimento, de seu carinho pela instituição e pelo povo, a quem tão bem serviu”, disse Roberto Barros.

Homenagens

O desembargador-presidente entregou às mãos do homenageado a Medalha do Cinquentenário, confeccionada exclusivamente para enaltecer os 50 anos de instalação do TJAC.

Ele também entregou a Jorge Araken um certificado e uma revista – alusivos a essa festividade – como demonstração de cortesia e deferência institucionais.

O homenageado proferiu um discurso (ouça a seguir) de agradecimento com muitas citações, dentre as quais: “a insigne honra, com que hoje me confundis, não cabe na minha pessoa, só a pode receber dignamente a minha nação”.

Discurso:

 

Araken ainda fez uma homenagem póstuma ao seu colega Lourival Marques, morto no ano passado, a quem apontou como um dos fundadores da Justiça no Acre, como também o considerou “saudoso e querido” e “amigo de todo mundo e amigo de cada um”.

Ao entregar umas fotos de recordação, com os últimos registros fotográficos do encontro entre esses dois amigos, por ocasião de suas Bodas de Ouro, a professora Edir destacou que Jorge Araken é uma lenda viva, um carioca-acreano dos mais notáveis. “Sua amizade e lealdade ao Lourival me toca até hoje profundamente”, finalizou ela.

Discursos

Arquilau Melo exaltou as qualidades do colega, a quem conhece de longa data. “Juiz exemplar, desembargador exemplar, um estudioso da história não só da Justiça, mas do Acre. Um homem que formou gerações e gerações; correto, justo, que honrou o Judiciário do seu Estado e tem sido um norte ao longo desses anos todos para a juventude. Mais do que merecida essa homenagem que o Tribunal faz, por meio do seu presidente. Parabéns!”, afirmou o desembargador.

“Tenho admiração não apenas pelo jurista, mas também pelos muitos papéis que ele sempre desempenhou: professor, advogado, historiador, poeta, romancista, pesquisador e outros”, completou o desembargador aposentado Ciro Facundo.

Visivelmente emocionado, o desembargador Pedro Ranzi assinalou que a história de Araken se confunde com a do Acre e a do Tribunal, por seu “brilhantismo, lucidez e dedicação ao trabalho”.

Postado em: Notícias | Tags:,

Fonte: Atualizado em 17/10/2014