Tribunal de Justiça do Acre e bancada federal avançam na discussão de projetos institucionais

Autoridades debateram questões de interesse mútuo, e propostas de projetos institucionais em defesa dos cidadãos e de melhores serviços à sociedade.

Membros do Tribunal de Justiça do Acre e parlamentares da bancada federal se reuniram nesta segunda-feira (24) para tratativas de interesse mútuo, e a discussão de propostas de projetos institucionais.

O encontro ocorreu na Sede Administrativa do TJAC, tendo no diálogo, aproximação e parceria o seu ponto alto. A harmonia institucional entre o Poder Judiciário e os representantes do Legislativo – guardados a independência e atribuições -, concorre diretamente para o aperfeiçoamento da Justiça, e melhores serviços prestados à sociedade.

Pelo TJAC, participaram da reunião a presidente, o vice-presidente, e a corregedora geral da Justiça, desembargadores Denise Bonfim, Francisco Djalma e Waldirene Cordeiro, respectivamente. A desembargadora Eva Evangelista, e os desembargadores Pedro Ranzi, Roberto Barros, Laudivon Nogueira e Júnior Alberto; os juízes de Direito Lois Arruda, e Cloves Ferreira, auxiliares da Presidência, e da Corregedoria Geral, também integraram o encontro.

Já pela bancada federal, o senador Sérgio Petecão, e os deputados Flaviano Melo, Moisés Diniz, e Alan Rick.

Ao dar as boas vindas aos parlamentares, a desembargadora-presidente Denise Bonfim assinalou o propósito da reunião. “É uma honra para o Poder Judiciário recebê-los, agradeço em nome da Corte de Justiça pela presença de cada um. Estamos aqui para estreitar os nossos laços institucionais, e pedir apoio aos nossos programas, projetos e ações, por meio dos recursos das emendas”, disse.

“Precisamos avançar para atingir os nossos objetivos, desde a construção de fóruns, até reformas em unidades judiciárias, além dos projetos sociais já consolidados. Por isso, pedimos essa colaboração”, completou o desembargador Francisco Djalma.

“O apoio de vossas excelências é necessário para continuarmos entregando uma prestação jurisdicional reconhecidamente eficiente, e o bom cumprimento da nossa missão”, considerou a desembargadora Waldirene Cordeiro.

Outros depoimentos

Ao citar a relevância dos projetos sociais, como o Justiça Comunitária, a decana da Corte de Justiça Acreana, desembargadora Eva Evangelista, salientou que “a unidade” entre as instituições é indispensável para que haja a conjugação de esforços destinados a alcançar os cidadãos mais distantes, que mais precisam”.

O desembargador Pedro Ranzi ressaltou que a iniciativa é de “uma grandeza imensurável”, e que os parlamentares demonstram “ser sensíveis” ao trabalho desenvolvido no âmbito da Instituição.

Para o desembargador Roberto Barros, “as autoridades do parlamento atuam em questões de interesse direto da Magistratura, razão porque devemos continuamente manter esse diálogo”.

O desembargador Laudivon Nogueira lembrou que é preciso “conversar sobre nossas necessidades”. “Os senhores precisam conhecer melhor as atividades do Poder Judiciário”, frisou.

Já o desembargador Júnior Alberto destacou que o evento “é alvissareiro”, pois as instituições têm algo em comum, que é “a finalidade pública de proteger o interesse social”.

Os juízes Lois Arruda e Cloves Ferreira disseram estar “honrados com o convite” de participar da agenda institucional, ao passo que se colocaram à disposição.

A opinião dos parlamentares

Prazer grande sentar convosco, vê de perto esse trabalho, acompanhar melhor. Estão no caminho certo com essa iniciativa de nos convidar para esta integração. Parabéns, e contem comigo, no que depender de mim, irei ajudar, como já fiz em outras situações”, afirmou o senador Sérgio Petecão.

“É importante compartilhar desse momento para que a Justiça continue cumprindo bem o seu papel. Temos de nos aproximar dos cidadãos, e ouvir a sociedade”, disse o deputado federal Alan Rick.

“Essa proximidade, esse entrosamento entre os poderes é fundamental, pois facilita a construção de entendimentos, e traz resultados”, declarou o deputado Flaviano Melo, ao enfatizar que a disponibilidade em buscar emendas coletivas, que teriam maior aporte financeiro.

Concordando com o colega parlamentar, o deputado Moisés Diniz garantiu que envidará esforços para destinar recursos de emendas individuais, mas que as emendas coletivas seriam “mais substanciais”.

Depois dos pronunciamentos, a presidente do TJAC repassou às mãos dos parlamentares um documento que sintetiza as propostas de projetos para as emendas parlamentares. Ao final, as autoridades participaram de um café da manhã.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Ex. DIINS - Diretoria de Informação institucional Publicado em 24/04/2017