Tribunal de Justiça do Acre conclui virtualização de todas as Comarcas de 1º Grau

Um dos principais projetos do Tribunal de Justiça do Acre dos últimos anos será concluído na próxima sexta-feira (19), em Assis Brasil. Trata-se da virtualização dos processos do Poder Judiciário em todas as Comarcas do Estado.

Para comemorar o encerramento desta primeira etapa do Projeto será realizada uma solenidade no Fórum da Comarca de Assis Brasil com a presença de autoridades locais e do presidente do TJAC, desembargador Roberto Barros. Para ele, o momento é de celebrar uma vitória que considera simbólica porque ocorre no ano em que o TJAC completa 50 anos de instalação, além de proporcionar mais celeridade aos trabalhos prestados pelo Poder Judiciário.

“A virtualização dos processos é fundamental para que tenhamos maior rapidez, segurança e eficiência na prestação de nossos serviços. Vencemos as dificuldades geográficas e técnicas para que pudéssemos chegar até o fim dessa primeira etapa, por isso, Assis Brasil, na tríplice fronteira, é um local simbólico para a conclusão desse grande projeto”, ressaltou o presidente.

O projeto de virtualização começou em 2008, na gestão da desembargadora Izaura Maia com a criação da Vara de Violência Doméstica, utilizando o PROJUDI (sistema virtual de transferência de informações que depois migrou para o e-SAJ).

Na gestão do desembargador Pedro Ranzi, em 2009, o projeto seguiu com a virtualização da Vara de Execuções Penais e da Central de Penas Alternativas, atual Vara de Execução de Penas e Medidas Alternativas (Vepma).

Em 2011, já na gestão do desembargador Adair Longuini, a virtualização dos processos ganhou maior intensidade com a realização de um mutirão dos servidores na realização dos trabalhos na Vara de registros públicos concluindo com a virtualização dos processos da 4º Vara Cível de Rio Branco.

A ação também ganhou prioridade na atual gestão com a conclusão dos trabalhos em todas as Comarcas de Rio Branco e depois, em Assis Brasil, última Comarca a ser virtualizada em razão de não contar com link de dados.

Para que o projeto fosse possível em Assis Brasil o TJAC firmou parceria com a empresa de telecomunicações “Oi” que em junho instalou um link de dados, por meio de fibra ótica, tornando o sinal mais rápido e o envio de dados eficiente.

Também em Assis Brasil, antes de iniciar a virtualização foi preciso realizar a inclusão dos Processos no Sistema de Automação Judicial (SAJ), depois a digitalização e por último a liberação dos processos na internet com a assinatura digital dos servidores.

“Estamos muito felizes de nos 50 anos do TJAC comemorarmos esse salto de modernidade nos nossos sistemas”, concluiu o desembargador-presidente Roberto Barros.

Vantagens

São inúmeras as vantagens apontadas com a implantação do Projeto de Virtualização do Poder Judiciário. Ganham destaque a maior celeridade na prestação jurisdicional, a economia de tempo e dinheiro, preservação ambiental (já que com o papel deixa de ser utilizado), maior facilidade na comunicação dos atos processuais, maior segurança, a perpetuidade dos processos no meio eletrônico, que diferentemente do meio físico (papel), não sujam, rasgam, se perdem nem se deterioram.

Treinamento

A próxima etapa do projeto já começa na segunda-feira (22) com o treinamento dos servidores da Comarca de Assis Brasil. Eles vão receber instruções sobre como utilizar o Sistema e-SAJ.

O treinamento será realizado pelas equipes de técnicos da diretoria de tecnologia da informação e corregedoria do TJAC com o objetivo de agilizar o processo judicial em meio eletrônico.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 11/06/2015