TJAC vai celebrar nesta semana a união de mais de 500 casais no Vale do Juruá

Nesta quinta-feira (22) a cerimônia do casamento coletivo acontece em Marechal Thaumaturgo; no sábado (24) o ato se repete em Cruzeiro do Sul com 500 casais.

O Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) vai celebrar nesta semana a união de mais de 500 casais no Vale do Juruá. Nesta quinta-feira (22) a cerimônia do casamento coletivo ocorre na Comarca de Marechal Thaumaturgo, a partir das 11h, no ginásio coberto Raimundo Bezerra Frota, com participação de 75 casais.

casamento

No sábado (24), o ato se repete em Cruzeiro do Sul, com previsão de participação de 500 casais. O evento será realizado, a partir das 17h no ginásio poliesportivo Jader Saraiva Machado. Para celebrar as cerimônias nos dois municípios foi designado pela Presidência do TJAC, o Juiz de Direito Erick Fahart.

Inicialmente foram disponibilizadas 300 vagas para a Comarca de Cruzeiro do Sul, mas em decorrência da grande procura o delegatário local autorizou aumentar o número de vagas para 500 casais. De acordo com dados disponibilizados pela coordenação do Projeto Cidadão, o número de vagas ofertadas anteriormente foi ultrapassado já nos primeiros dois dias de inscrição. Até o meio dia de hoje (21) já se contabilizava 457 casais inscritos.

Retomado pela atual gestão, o Projeto Cidadão está sendo coordenado pela Presidência do Tribunal de Justiça do Acre. A ação tem como foco o acesso à cidadania e eficiência na obtenção da documentação, no caso a regularização do estado civil. Além de refletir as diretrizes da atual gestão que são voltadas para a responsabilidade social e humanização da Justiça.

Sobre o Projeto Cidadão

O Projeto Cidadão é uma iniciativa do Tribunal de Justiça Acreano e teve, em princípio, o objetivo primordial de garantir a emissão gratuita de documentação à população de baixa renda, de forma rápida e desburocratizada. Ele surgiu da preocupação em reverter um dado fornecido pelo IBGE, cujas estatísticas mostravam que, em 1995, ano de sua criação, aproximadamente 68% dos habitantes do Estado não possuíam nenhum tipo de registro legal.

coletivo_casamento_coletivo_tjac_jun15_3-653x378

De lá para cá, essa demanda reprimida foi sanada, o Projeto foi ampliado e incorporou outras ações, garantindo o acesso facilitado da comunidade a diversos serviços. Sua finalidade primordial é assegurar à população de menor poder aquisitivo o direito à documentação básica, bem como o acesso rápido e gratuito aos serviços públicos de saúde, educação, trabalho, meio ambiente, segurança e o tradicional Casamento Coletivo.

As ações alcançam a perspectiva de alteridade (o “colocar-se no lugar do outro”), humanização e de cidadania, bem como de inclusão social no Estado, além de fazerem parte da visão do Tribunal, de garantir os direitos dos jurisdicionados acreanos, com justiça e agilidade, promovendo o bem de toda a sociedade.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 21/09/2016