TJAC realiza sábado (26) edição especial do Casamento Coletivo em Cruzeiro do Sul

Cerimônia será prestigiada pela presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargadora Cezarinete Angelim.

O Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), através da coordenação do Projeto Cidadão, vai realizar sábado (26), em Cruzeiro do Sul, segundo município mais populoso do Estado, mais uma edição especial do já tradicional Casamento Coletivo.

O evento será realizado às 18 horas, no Ginásio Poliesportivo Jader Saraiva (Rua do Purus, S/N, Bairro João Alves), com a presença da presidente do TJAC, desembargadora Cezarinete Angelim, bem como de representantes do Município de Cruzeiro do Sul, dentre outras autoridades estaduais e federais, além dos nubentes, seus amigos e familiares.

As inscrições para habilitação à cerimônia coletiva aconteceram no período de 25 a 27 de outubro, no Centro Cultural Dr. Francisco Siqueira do Rêgo Barros, sendo que na ocasião foram registrados 550 casais aptos a contrair matrimônio.

A ação alcança a perspectiva de alteridade (o “colocar-se no lugar do outro”), humanização e de cidadania, bem como de inclusão social no Estado, além de fazer parte da visão garantista, por parte do Tribunal, dos direitos dos jurisdicionados acreanos, com justiça e agilidade, promovendo o bem de toda a sociedade.

Além da cerimônia nupcial coletiva, o Projeto Cidadão, coordenado pelo desembargador aposentado Arquilau Melo, também preparou alguns eventos especiais para marcar a data, como uma feira de Economia Solidária e a apresentação da Banda Marcial do 61º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS).

casamento-coletivoonline-interior-set15

Projeto Cidadão

O Projeto Cidadão é uma iniciativa do Tribunal de Justiça Acreano e teve, em princípio, o objetivo primordial de garantir a emissão gratuita de documentação à população de baixa renda, de forma rápida e desburocratizada. Ele surgiu da preocupação em reverter um dado fornecido pelo IBGE, cujas estatísticas mostravam que, em 1995, ano de sua criação, aproximadamente 68% dos habitantes do Estado não possuíam nenhum tipo de registro legal.

De lá para cá, essa demanda reprimida foi sanada, o Projeto foi ampliado e incorporou outras ações, garantindo o acesso facilitado da comunidade a diversos serviços. Sua finalidade primordial é assegurar à população de menor poder aquisitivo o direito à documentação básica, bem como o acesso rápido e gratuito aos serviços públicos de saúde, educação, trabalho, meio ambiente, segurança e o tradicional Casamento Coletivo.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Publicado em 25/09/2015