TJAC realiza edições especiais do Casamento Coletivo no Vale do Juruá

Atual gestão levou cidadania a Marechal Thaumaturgo e Cruzeiro do Sul, com o projeto de interiorização das ações.

Os exatos 132 degraus que separam as duas margens do Rio Amônia, para se chegar a Marechal Thaumaturgo, constituem um desafio sinuoso de acessibilidade. Não para o Tribunal de Justiça do Acre, que diminui distâncias e aproxima ações para ampliar o acesso dos cidadãos aos serviços do Judiciário. Para chegar ao local, a equipe teve de se deslocar de avião (modelo Caravan, parceria com a Força Aérea Brasileira – FAB) e barco. Foi assim que a atual gestão promoveu no município uma edição especial do Casamento Coletivo, a décima neste Biênio 2015-2017.

Desembargadora-presidente Cezarinete Angelim e corregedora-geral da Justiça, desembargadora Regina Ferrari, atravessam rio na floresta amazônica para levar cidadania e justiça a quem mais precisa.

Desembargadora-presidente Cezarinete Angelim e corregedora-geral da Justiça, desembargadora Regina Ferrari, atravessam rio na floresta amazônica para levar cidadania e justiça a quem mais precisa.

Equipe se desloca de avião modelo Caravan da Força Aérea Brasileira (FAB) para ampliar o acesso dos cidadãos mais isolados à Justiça.

Equipe se desloca de avião modelo Caravan da Força Aérea Brasileira (FAB) para ampliar o acesso dos cidadãos mais isolados à Justiça.

O esperado SIM, tradicional nos casamentos, foi verbalizado de um modo especial no ginásio coberto Raimundo Bezerra Frota, com a participação de 75 casais.

casamento_coletivo_tjac_20

Conduzida pela desembargadora-presidente Cezarinete Angelim, a solenidade teve as presenças da corregedora geral da Justiça, desembargadora Regina Ferrari; do juiz de Direito Hugo Torquato, diretor do Foro da Comarca de Cruzeiro do Sul, e do juiz de Direito Erik Farhat, titular da 1ª Vara Cível mesma unidade judiciária. Servidores do Tribunal de Justiça Acreano e também de Marechal Thaumaturgo prestigiaram o evento.

“No caso desta ação, o Tribunal está colocando em prática a responsabilidade social, promovendo mais humanização, acolhimento e cidadania. Mas este é um dia festivo, de graça, harmonia e emoção. O sonho dos noivos se realiza, a felicidade se materializa com a oficialização da união”, declarou a presidente do TJAC.

casamento_coletivo_tjac_2

A desembargadora Cezarinete Angelim assinalou a relevância daquele momento para as famílias. “Neste ato solene em que tantos casais se dão em matrimônio, em que marido e mulher se tornam um só para todos os efeitos legais e possíveis, a união solene se manifesta publicamente com a comunhão, o afeto, e a aceitação recíproca da manifestação amorosa”, disse.

“Viver em união é uma tarefa bastante difícil. É preciso muito amor, compreensão, zelo e comprometimento. Os casais têm de buscar se fortalecer e cultivar a paz, que começa dentro de nós”, salientou a desembargadora Regina Ferrari.

casamento_coletivo_tjac_4

Conduzida pelo juiz de Direito Erik Farhat, a cerimônia civil teve a aceitação pública do matrimônio, seguida do beijo que sela o sentimento entre os amados.

Em Cruzeiro do Sul

Na segunda maior Comarca do Estado do Acre, o Ginásio Poliesportivo Jader Saraiva se tornou pequeno para o tamanho da emoção. Exatamente 513 casais disseram o SIM coletivo, na manifestação coletiva do amor e enlace matrimonial. Pelo menos 5 mil pessoas compareceram ao local, entre noivos, familiares e amigos.

O dispositivo de honra teve as presenças da desembargadora-presidente Cezarinete Angelim; do juiz de Direito Hugo Torquato; do juiz de Direito Erik Farhat; da vice-governadora do Acre, Nazaré Araújo; do delegatário Cleber Correa (do Ofício do Registro Civil das Pessoas Naturais); do presidente da Associação Comercial do Alto Juruá, Assem Cameli; do pastor Gouveia.

casamento_coletivo_tjac_36

Houve a participação especial dos servidores do Tribunal de Justiça, e da Comarca de Cruzeiro do Sul, que, de modo espontâneo, se dispuseram a colaborar com a organização do evento.

“O Casamento Coletivo traz na cidadania a sua expressão maior. A retomada do Projeto Cidadão pela atual gestão do Tribunal de Justiça visa aproximar o Poder Judiciário do Acre da sociedade, através dos seus serviços. A Administração não atua apenas com a distribuição de justiça, mas também com a promoção do bem-estar da população, da responsabilidade social, da pacificação e da interiorização dos projetos, programas e ações”, destacou a presidente do TJAC.

A desembargadora Cezarinete Angelim lembrou que a iniciativa contribui diretamente para a oficialização da união matrimonial, bem como o que seria o mais importante. “É a consolidação das famílias, não somente do ponto de vista dos direitos civis, mas dos lanços de afeto, carinho, união e, sobretudo, de amor”, explicou.

casamento_coletivo_tjac_30

Somente em Cruzeiro do Sul, a atual gestão celebrou a união de 1.063 casais em um período de apenas um ano.

Nesse sentido, ao retomar o Projeto cidadão, a gestão devolveu à população o direito à cidadania e dignidade, por meio da humanização e responsabilidade social – diretrizes colocadas em prática desde o início.

A cerimônia

O evento foi iniciado com a marcha nupcial que, gradativamente, encheu o Ginásio de rostos e sorrisos de felicidade. Houve nesse momento a participação da Banda Marcial do 61º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), que tocou diversas músicas românticas, que embalavam os casais.

A cerimônia civil foi conduzida pelo juiz de Direito Erik Farhat, titular da 1ª Vara Cível da Comarca de Cruzeiro do Sul. “A partir de agora vocês irão compartilhar as suas vidas, gestos e os sentimentos mais nobres. O amor representa tudo, devendo ser referência em tudo na vida. Mas além disso, é preciso cultivar a compreensão, o respeito, a conexão das almas, para que sejam efetivamente cumpridos os dispositivos previstos na Constituição Federal e no Casamento Civil”, afirmou o magistrado, dirigindo-se aos casais.

casamento_coletivo_tjac_23

José Francisco de Souza (23 anos) e Francisca Rafaela Melo (19) – como casal mais novo -; e Edilson Cordeiro da Silva (91 anos) e Tereza Monteiro (77 anos), como casal mais experiente, representaram os outros 513 casais presentes.

“Nunca é tarde para ser feliz nesta vida”, disse o senhor Edilson, cujo sorriso permaneceu no rosto simpático durante toda a festa.

“Posso ser muito nova, mas quero fazer as coisas da maneira correta, pensando no futuro da minha família”, disse Francisca Rafaela Melo, de 19 anos.

Um dos momentos mais aguardados da solenidade foram os votos matrimoniais, ocasião em que os nubentes responderam com um coletivo “SIM”, aceitando publicamente a união voluntária de um homem e de uma mulher, nas condições sancionadas pelo direito, de maneira a se estabelecer a legitimidade familiar.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Ex. DIINS - Diretoria de Informação institucional Atualizado em 27/09/2016