TJAC promove vernissage do artista plástico Clementino Almeida na Sede Administrativa

Mostra denominada “Magia da Floresta” com obras do pintor acreano acontece no Hall das Câmaras Cíveis e Criminal.

Em mais uma atividade voltada ao bem-estar de magistrados e servidores, a Administração do Tribunal de Justiça do Acre promove, no período de 19 de janeiro a 12 de fevereiro deste ano, no Hall das Câmaras Cível e Criminal na sede do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), a Exposição “Magia da Floresta”, do artista xapuriense Clementino Almeida de Lima. A abertura do evento cultural acontecerá às 10 horas e será conduzida pela desembargadora-presidente Cezarinete Angelim.

De acordo com a proposta da amostra, Clementino Almeida abordará as mais diversas formas de manifestações do modo de vida região Norte, a riqueza dos povos da floresta em geral, os ribeirinhos, a fauna e a flora Amazônica, animais ameaçados e em extinção, as lendas, o folclore regional e os causos populares.

vernissage_clementino_tjac_1

A exposição abordará também, segundo o artista, as nuanças da vida no seringal, como o processo de extração e coleta do látex da seringueira, a produção da borracha, e ainda aspectos da cultura indígena, ressaltando a importância das plantas medicinais, bem como a biodiversidade amazônica.

Clementino Almeida lança mão de sua arte para difundir e ressaltar e importância que a floresta tem para o planeta. “Através da nossa pintura procuramos alertar as pessoas sobre os cuidados que devemos ter com a terra, com uma atenção voltada para as ações e causas que prejudicam o futuro da terra. Como: as queimadas, o desmatamento, a poluição, etc”, assevera o artista.

“Como agentes conscientes da nossa luta, estamos contribuindo com uma parcela para esta causa, por meio das imagens, informações e reflexões expostas em nosso trabalho”, completou Clementino.

convite_clementino_almeida

O artista

Clementino Almeida de Lima, 32 anos, é filho de Selva e José, nasceu no Seringal Bom Lugar, em Xapuri –AC. Desenha desde os três anos de idade, quando brincava no fogão à lenha de sua mãe, utilizando materiais da floresta como carvão e urucum.

Aos sete anos, quando teve a oportunidade de fazer o curso básico de desenho pelo Instituto Universal Brasileiro, passou a ter contato com os livros didáticos relacionados à arte. A partir de então, começou a desenhar cenários de peças teatrais e desfiles comemorativos das escolas de sua cidade.

Participou de exposições coletivas com os artistas de Xapuri, desenvolveu trabalhos publicitários para o Governo do Estado e ministrou oficinas de desenhos para crianças e jovens do ensino fundamental. Clementino reside em Rio Branco desde 2005, aonde busca estudar e se inserir no mercado das artes plásticas. Integra o grupo de artistas urbanos, atuando em parques, feiras e escolas.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Ex. DIINS - Diretoria de Informação institucional Atualizado em 11/01/2016