TJAC promove vernissage da exposição “Janelas Terapêuticas d’alma”

Propósito da iniciativa é apresentar ao público o poder transformador da arte como instrumento de intervenção na vida humana.

Mostrar ao público o poder transformador da arte como instrumento de intervenção na vida humana. Esse é um dos propósitos da exposição “Janelas Terapêuticas d’alma”, cujo vernissage foi promovido pelo Tribunal de Justiça do Acre nesta segunda-feira (10).

Conduzido pela desembargadora-presidente Denise Bonfim, o evento foi bastante prestigiado, tendo as presenças do vice-presidente, desembargador Francisco Djalma; da desembargadora Waldirene Cordeiro, corregedora geral da Justiça; e dos desembargadores Regina Ferrari e Júnior Alberto.

O presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), juiz de Direito Luís Camolez; o juiz-auxiliar da Presidência, Lois Arruda; diretores, gerentes, assessores, secretários e servidores do Tribunal também compareceram à solenidade.

As obras do artista plástico Arnaldo Lima de Araújo podem ser conhecidas pelo público até o dia 8 de agosto, no Prédio-Sede do TJAC (hall das Câmaras Cíveis e Criminal).

“A intenção é mostrar um pouco de mim. Sintam-se à vontade para aplaudir ou até criticar, mas se permitam revelar o sentimento que aflora, no sentido do humano para humano. Estas são as minhas janelas para todos vocês. Obrigado desembargadora Denise Bonfim por esta grandiosa oportunidade”, disse o artista.

Autodidata, Arnaldo de Araújo possui conhecimento em filosofia, artes plásticas e teatro, já tendo sido premiado, inclusive no Salão Hélio Melo Artes Visuais. Também é acadêmico do curso de Psicologia.

“Aponta a relevância das artes plásticas para aguçar nossas percepções e sentidos. Dessa forma, desperta-se um novo horizonte no âmbito do Poder Judiciário Acreano, com a ampliação do acesso de nosso público a atividades culturais e educativas”, assinalou a presidente do TJAC acerca da exposição.

A desembargadora Denise Bonfim também ressaltou que as obras projetam nas cores e traços cubistas “não apenas os elementos pessoais de suas vivências; mas também os percursos, histórias sentimentos – experiências universais -, que fazem parte da vida de todos nós”.

Ela frisou ainda que a arte é importante em si mesma, “porque pode ser uma ferramenta capaz de acalentar as nossas almas, e nos ajudar a levar vidas mais plenas e felizes”.

Biografia

Arnaldo Lima de Araújo tem 36 anos, e o seu interesse pelo desenho veio desde a infância. Com 17 anos, começou a organizar esboços trabalhados de maneira autodidata, até que no ano de 2003 consegue uma bolsa para fazer um curso de desenho e pintura na Escola Rivasplata.

O artista possui conhecimento em filosofia, e cursou Artes Plásticas na Usina de Arte João Donato. Participou de algumas exposições coletivas, e de diversas edições do Concurso de Pintura em Tela As Cores da Cidade, e do Salão Hélio Melo Artes Plásticas, que acontecem anualmente na Capital acreana – obtendo algumas premiações.

Cursou teatro na Usina de Arte João Donato, e tem experiências anteriores na Oficina de Iniciação Teatral realizada pela Fetac, e Oficina Teatral Evangelizando com Arte.

Desenvolve trabalhos de desenho a lápis, pintura em tela, escultura, pintura em isopor, painel para aniversário, artesanato, origami e cartazes.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Ex. DIINS - Diretoria de Informação institucional Publicado em 10/07/2017