TJAC investe nas artes para humanização e promoção da cultura no Judiciário

Atual gestão garante a valorização dos artistas, promovendo os talentos e mudando a paisagem do Judiciário para um ambiente mais acolhedor.

Humanizar os espaços da Justiça, tornando-os mais acolhedores, induzindo os visitantes à reflexão de seus próprios papéis perante a sociedade e o planeta. Com essa visão, a atual gestão do Tribunal de Justiça do Acre tem buscado garantir espaço nas unidades judiciárias estaduais ao talento e obras dos artistas acreanos, afastando trâmites burocráticos que possam dificultar o acesso do público às chamadas Belas Artes.

A Administração já promoveu duas exposições em pouco tempo, dentro de um calendário que terá muitas outras nos próximos meses. Dessa forma, a atual gestão garante a valorização dos artistas, promovendo os talentos e mudando a paisagem do Judiciário para um ambiente mais acolhedor.

Exemplo disso foi a exposição do artista plástico Bab Franca, realizada no último mês de novembro de 2015, marcado pela Campanha Novembro Azul de combate ao câncer de próstata, que transformou o ambiente austero do Hall das Câmaras Cíveis e Criminal do TJAC em um universo de tons de índigo, verde e amarelo, revelando uma profusão de símbolos e elementos da natureza e da cultura amazônica.

O artista, que reúne em seu currículo exposições coletivas e individuais no Brasil e no exterior, se disse feliz pela oportunidade de expor seus trabalhos à população em um local geralmente dominado pelas discussões acerca dos direitos dos cidadãos e sessões jurisdicionais.

“Me dá esperança saber que na Justiça Acreana existem pessoas sensíveis e que muitos espaços ainda poderão ser abertos aos artistas locais”, disse Bab Franca por ocasião da vernissage da exposição.

exposicao_bab_franca_tjac_4

O mesmo Hall das Câmaras Cíveis e Criminal também abriga, desde o último dia 19 de janeiro, a exposição “Magia da Floresta” do xapuriense Clementino Almeida. Considerado um dos novos talentos promissores das artes plásticas no Estado do Acre, o artista também busca na natureza e nos personagens típicos da região a inspiração para compor telas que retratam desde cenas do cotidiano indígena à riqueza da fauna e flora e os animais lendários da mitologia popular, como o Mapinguari.

Para o artista, a oportunidade de expor suas obras em um local “aonde a população geralmente vem para resolver problemas, processos, causas, é muito importante, até mesmo porque a arte serve como uma espécie de terapia para essas pessoas, como uma ‘porta de saída’, lembrando aquilo que nós temos de bom no nosso lugar”.

“É realmente uma possibilidade muito interessante para nós, artistas, muito gratificante, até porque são poucos espaços e convites. Não que seja difícil expor (em um local público), mas geralmente existe todo um cronograma, com protocolos e exigências que às vezes inviabilizam que bons artistas possam mostrar seu talento ao grande público”, considerou Clementino Almeida, que também brindou os presentes ao vernissage de sua exposição com uma intervenção artística, na qual retratou a deusa Têmis, considerada pela mitologia grega a guardiã dos juramentos dos homens e da lei.

vernissage_clementino_almeida_tjac_11

A exposição “Magia da Floresta” ficará em cartaz até o próximo dia 12 de fevereiro de 2016.

Serviço:

Exposição “Magia da Floresta”

Onde: Hall das Câmaras Cíveis e Criminal do TJAC (Sede Administrativa do TJAC, Rod. BR 364, Km 2, Via Verde)

Quando: até o dia 12 de fevereiro, das 8 às 18 horas

 

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Ex. DIINS - Diretoria de Informação institucional Atualizado em 26/01/2016