TJAC discute parceria com a FIEAC para implantar ‘Começar de Novo’

Idealizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Programa Começar de Novo é voltado à sensibilização de órgãos públicos e da sociedade civil para promover iniciativas que garantam a ressocialização e reinserção de presos e egressos do sistema carcerário no mercado de trabalho.

Com o objetivo de ampliar o Programa, o Presidente do Tribunal de Justiça do Acre e o Corregedor Geral da Justiça, Desembargadores Pedro Ranzi e Samoel Evangelista, visitaram na tarde dessa segunda-terça (05) o empresário Francisco Salomão, Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC).

Nesse sentido, foi discutida a possibilidade de se firmarem parcerias entre o TJAC e a FIEAC, com o intuito de implementar o Projeto no setor industrial do Estado.

O Desembargador Pedro Ranzi ressaltou a importância da ressocialização. “Esta é uma questão de todos nós. Por isso, precisamos de parceiros, de colaboradores para desenvolvermos estratégias que possibilitem reintegrar os apenados à sociedade, como cursos de formação, capacitação e qualificação e a oferta de trabalho. Precisamos acreditar e ajudar essas pessoas que erraram”, destacou.

Em seguida, o Desembargador Samoel Evangelista explicou o funcionamento do Programa Começar de Novo. “É preciso deixar claro que haverá seleção dos apenados, acompanhamento das atividades e avaliação mensal sobre desempenho de seus trabalhos. O principal objetivo do CNJ com esse Projeto é evitar a reincidência dessas pessoas na criminalidade”, afirmou .

Francisco Salomão considerou a ideia apropositada. “A FIEAC apóia essa iniciativa. Se já é tão difícil para alguém que está aqui fora se qualificar ou conseguir um emprego, imagine para quem já esteve recluso no sistema prisional? Precisamos ter essa sensibilidade e, juntos, nos esforçarmos nessa perspectiva social”, salientou.

Ao final do encontro, os Magistrados entregaram ao Presidente da FIEAC uma cópia do diploma concedido ao Tribunal Acreano, classificado em 10º lugar entre os tribunais brasileiros (1º da Região Norte) que conseguiram superar 90% das metas estabelecidas pelo Poder Judiciário para o ano de 2009. Também foi entregue o Planejamento Estratégico, com as principais ações que projetam o Judiciário Estadual até o ano de 2014.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 05/06/2015