TJAC avança na área ambiental com projeto de Santuário Ecológico

Objetivo é transformar APA em um espaço de práticas ambientais, de lazer e principalmente de educação.

A governadora do Acre em exercício, desembargadora Cezarinete Angelim, reuniu a equipe do meio ambiente do Executivo para discutir a questões ligadas à temática, sobretudo no que diz respeito ao projeto de transformação de uma Área de Preservação Ambiental (APA), localizada próxima à sede do TJAC em um verdadeiro Santuário Ecológico.

Secom_acre_SV05022016-14-1000x800

Uma vez que haja a cessão oficial do espaço, será colocado em prática o projeto idealizado pela atual gestão do Tribunal de Justiça Acreano. A desembargadora demonstrou interesse para que a APA – que possui 4,5 hectares e pertence ao Estado – passe a ser administrada pelo Tribunal de Justiça, o qual se responsabilizará pela sua preservação. Cezarinete Angelim explicou que pretende utilizar ocupado não apenas para práticas ambientais e de lazer, mas principalmente para atividades ecológicas e educacionais de crianças e adultos; e com o diferencial da acessibilidade para pessoas com algum tipo de deficiência. “É uma herança que se planta, com frutos no presente e no futuro das gerações”, disse ela.

“O nosso interesse é justamente o da defesa da vida. Temos um projeto chamado Natureza Viva, em que defendemos que cuidar da natureza é manter o homem vivo. O Tribunal na qualidade de poder institucional também deve ter essa responsabilidade ambiental”, considerou a governadora em exercício.

Flash_Secom_acre_SV05022016-10-1000x800

O encontro teve a presença de diversas autoridades, incluindo a juíza-auxiliar da Presidência, Mirla Regina; o secretário de Meio Ambiente, Carlos Edegard de Deus; o professor José Rego, secretário de Estado de Articulação Institucional (SAI), diretores do Tribunal e representantes do Governo Estadual.

O secretário Carlos Edegard de Deus, que liderou a equipe ambiental do governo no diálogo sobre o projeto, elogiou a ação do Judiciário Acreano.

Secom_acre_SV05022016-17-1000x800

“Temos que parabenizar o Tribunal de Justiça por ter essa iniciativa fantástica de preservar uma área de floresta dentro da área urbana de Rio Branco. Para nós é um ato simbólico e prático para que motive outras instituições a também realizar trabalhos de preservação da nossa natureza”, destacou.

Ele apoiou o projeto, enfatizando que tomará todas as providências para torná-lo uma realidade. Edgard de Deus apresentou cada um dos membros da equipe, e elencou uma série de ações desenvolvidas pelo governo nas áreas de clima, meio ambiente, indígena.

O representante resgatou de memória o momento em que esteve na sede do TJAC (abril de 2015), durante o lançamento do projeto Bosque Florido, quando cada desembargador adotou e plantou uma muda de árvore, tornando-se mantenedor.

Após a reunião, as autoridades, lideradas pela governadora do Acre, percorreram toda a trilha do Bosque Florido.

As iniciativas do TJAC

Todos elogiaram a iniciativa do TJAC, considerada inédita e que demonstra a sensibilidade e preocupação com um dos temas mais importantes no contexto atual. O professor Rêgo, por exemplo, disse que “era preciso agir com coração para fazer algo desse porte”. Coincidentemente, o lema da gestão é “cuidar e servir de coração pra coração”.

No ano passado, a atual gestão já havia lançado o Programa Natureza Viva, cujo objetivo é despertar a consciência individual e coletiva, e atitudes voltados ao cuidado com o meio ambiente e à preservação do planeta. O Tribunal está dando o exemplo com diversas ações, como o Bosque Florido, que consiste na plantação.
Inovador no Judiciário Nacional, o Bosque Florido faz parte do programa “Natureza Viva” e terá outras etapas. Também haverá iniciativas voltadas à economia de recursos e, não menos importante, ao estabelecimento de metas de redução de consumo de energia elétrica, água, papel, telefonia e descartáveis.

Com o slogan “Cuidando do meio ambiente, preservando o planeta”, o objetivo do projeto é transformar a paisagem austera do Tribunal em um espaço mais leve, acolhedor, de maior bem-estar para os que trabalham e visitam o prédio, como também promover a sintonia com o meio ambiente.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Ex. DIINS - Diretoria de Informação institucional Atualizado em 18/02/2016