TJAC anuncia vencedores do 1º Prêmio de Jornalismo do Poder Judiciário Acreano

Anúncio oficial dos ganhadores das cinco categorias ocorreu durante solenidade festiva promovida pela atual gestão no AFA Jardim, na noite desta quarta-feira (1º).

A Presidência do Tribunal de Justiça do Acre anunciou nesta quarta-feira (1º), durante solenidade festiva promovida no AFA Jardim, os vencedores do 1º Prêmio de Jornalismo do Poder Judiciário Acreano, que teve como patrocinadora oficial a Caixa Econômica Federal (Governo Federal). O evento também marcou um momento de confraternização entre os profissionais da impressa acreana e Judiciário Estadual.

premi_jornalismo_tjac_46

Das quase 50 inscrições realizadas nas cinco categorias, 13 trabalhos foram classificados como finalistas. Nas categorias Webjornalismo, Telejornalismo e Fotojornalismo foram premiados os três primeiros colocados, já nas categorias Jornalismo Impresso e Radiojornalismo, apenas primeiro e segundo lugares, em virtude da desclassificação de alguns trabalhos pela Comissão Julgadora, por não atenderem os critérios técnicos previstos no edital.

O concurso é uma iniciativa da atual gestão do Tribunal de Justiça promovido por meio da Diretoria de Informação Institucional (Diins), que almejou valorizar e reconhecer o trabalho desempenhado pelos meios de comunicação atuantes no Acre, além de divulgar as ações do Judiciário Acreano.

Antes do anuncio oficial dos ganhadores, a presidente do TJAC, fez um discurso de saudação e agradecimento aos profissionais da imprensa acreana.“O prêmio de jornalismo do Poder Judiciário Acreano traz um significado que vai muito além dos troféus. Trata-se do reconhecimento aos profissionais da imprensa, cujo trabalho dá visibilidade às ações, programas, projetos e iniciativas desta instituição”, ressaltou Cezarinete Angelim.

premi_jornalismo_tjac_40

A presidente do TJAC pontuou ainda que nesse sentido, “os jornalistas concorrem diretamente para disseminar a missão do tribunal de justiça do acre, que é garantir os direitos dos cidadãos do estado do acre, com justiça, agilidade e ética, promovendo o bem de toda sociedade”.

Ao final, destacou o trabalho desenvolvido pela Diretoria de Informação Institucional durante o biênio 2015/2017. “Não podemos deixar de destacar também o importante trabalho desenvolvido pela comunicação institucional do TJAC, buscando sempre uma maior aproximação entre o judiciário e a sociedade”, elogiou.

Homenagem Especial

O superintendente da Caixa Econômica Federal no Acre, Márcio Fiod, e a Decana da Corte de Justiça, desembargadora Eva Evangelista, também fizeram breves considerações acerca do evento.

“É um prazer para a Caixa fazer parte dessa iniciativa do Tribunal de Justiça. A missão do TJAC é promover o bem de toda a sociedade e essa também é a nossa missão na Caixa Econômica Federal. Espero que essa parceria profícua possa continuar nas próximas gestões com benefícios para ambos os lados. Contem conosco nas próximas edições”, declarou Fiod.

A desembargadora Eva Evangelista teve relevante destaque na noite. Ela recebeu das mãos da presidente do TJAC o troféu “Homenagem Especial”, em virtude de sua contribuição com o I Prêmio de Jornalismo do Judiciário Estadual. Visivelmente emocionada, ela disse sentir-se agradecida pela oportunidade de integrar a Comissão Julgadora do certame, que lhe trouxe “aprendizado” e representou “um difícil desafio”.

Ao mesmo tempo, a decana da Corte de Justiça Acreana elogiou a iniciativa que, segundo ela, significa um “avanço, inovação e “aproximação da Justiça com a sociedade”. “Que venham muitos outros Prêmios“, concluiu.

A solenidade prosseguiu com a premiação dos ganhadores nas cinco categorias, cujos valores foram de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 1.500, respectivamente, para o 1º, 2º e 3º lugares.

Telejornalismo

O 1º colocado foi o jornalista Jardel Angelim, da TV GAZETA, com o trabalho intitulado “Justiça que Salva”, onde o profissional narra a importante participação do Poder Judiciário Acreano para assegurar medidas urgentes em prol da vida.

premi_jornalismo_tjac_69

Na segunda colocação, a repórter Angélica Paiva, também da TV GAZETA, com a matéria “Abraçando Filhos”, iniciativa de caráter social da atual gestão que rompe o ciclo da violência e contribui para reestruturação familiar e ressocialização das mães reeducandas. Ausente, a jornalista foi representada pelo repórter cinematográfico David Chesmon.

O terceiro lugar ficou com o jornalista Leandro Manhães, da TV ACRE, com a reportagem “Casamento Coletivo”, Iniciativa coordenada pela Presidência do TJAC que facilita o acesso à cidadania e a obtenção da documentação regularização do estado civil.

premio_jornalismo_tjac_25

Fotojornalismo

Nesta categoria, o 1º colocado foi o repórter fotográfico Selmo Melo, do Jornal A TRIBUNA, com a fotografia “Torcendo por Justiça”, registro de uma jovem plateia de um triste cotidiano se despedindo de mais uma vítima da violência. Na segunda colocação, Victor Augusto, do site Acre em Revista, com trabalho “Garantia de Direitos”. E em terceiro, Regiclay Saady, do Jornal Página 20, com a fotografia “Justiça: Guardiã da Sociedade”.

premio_jornalismo_tjac_1

Webjornalismo

O prêmio principal da categoria foi para o jornalista Resley Saab, do portal de notícias Opinião Online, com a reportagem “Violência contra a Mulher: a difícil missão de reconstruir vidas dilaceradas pelo ódio;  O segundo e terceiro lugares ficaram com o Portal G1, com as reportagens “Fomos escolhidos por eles, diz casal que adotou cinco irmãos no Acre”, de Janine Brasil, e “Servidores eliminam até 17kg após projeto de reeducação alimentar do TJ”, de Tácita Muniz”, respectivamente.

premio_jornalismo_tjac_20

Radiojornalismo

“O Sim da Justiça que gerou oportunidade”, de autoria da jornalista Luciana Teixeira, da Rádio Integração de Cruzeiro do Sul, foi o trabalho vencedor na categoria Radiojornalismo. Luciana foi representada pelo jornalista Wesley Moraes. Na segunda colocação ficou Ivan de Carvalho, da Rádio Difusora Acreana, com a reportagem “Audiência Pública no Rádio”.

premio_jornalismo_tjac_5

Jornalismo Impresso

Nessa categoria também foram classificados apenas dois trabalhos, ambos do Jornal Opinião. O 1º lugar ficou com o jornalista Resley Saab, com a reportagem especial “Judiciário vai a onde o povo está”; e a segunda colocação com a jornalista Alcinete Farias, com a reportagem especial “Separados pelo cárcere”.

premio_jornalismo_tjac_9

Postado em: Notícias | Tags:,

Fonte: Atualizado em 02/02/2017