TJ perde seu mais antigo servidor em Cruzeiro do Sul

Vítima de enfizema pulmonar, faleceu ontem no município de Cruzeiro do Sul o mais antigo servidor do Poder Judiciário naquela Comarca. Waldenor Jardim Alves Ferreira, o seu Nôca, que iria completar 67 anos no final de julho, há 34 trabalhava na justiça acreana. Apesar da função de oficial da Serventia de Registro de Imóveis, seu Nôca conhecia e fazia de tudo. Era o verdadeiro braço direito dos servidores e dos juízes da Comarca. O sepultamento ocorreu ontem no final da tarde, no cemitério São João Batista, em Cruzeiro do Sul. Por conta de sua morte, e em homenagem ao servidor, a presidência do TJ determinou a suspensão do expediente na Comarca. O presidente do TJ, desembargador Samoel Martins Evangelista suspendeu a agenda de compromissos em Rio Branco para ir a Cruzeiro do Sul participar do velório de seu Nôca, com quem teve oportunidade de trabalhar no tempo em que atuou como promotor de Justiça em Cruzeiro do Sul. Um servidor admirado e respeitado por todos. Assim era seu Nôca, um homem que dedicou toda a vida a Cruzeiro do Sul e ao Poder Judiciário. “Seu Nôca não era apenas um patrimônio da justiça, mas um patrimônio histórico e cultural de Cruzeiro do Sul. Ele, como poucos, talvez o único naquela cidade, conhecesse tão bem e guardasse tamanho acervo sobre a história política, social e cultural da cidade”, destacou ontem o presidente do Tribunal de Justiça, Samoel Evangelista, tão logo recebeu a triste notícia da morte do servidor que ele tanto conheceu e aprendeu a admirar. “A morte do seu Nôca deixou Cruzeiro do Sul, o Poder Judiciário e a todos que tiveram o prazer de usufruir do convívio dele, de luto”, lembrou o desembargador. Fonte: Assessoria de Imprensa do TJAC

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 06/06/2005