Tabelas Unificadas: Inicia o treinamento de servidores em Brasiléia, Epitaciolândia e Senador Guiomard

O treinamento dos servidores do Poder Judiciário com vistas à implantação definitiva do sistema de Tabelas Processuais Unificadas continua acontecendo de acordo com a agenda estabelecida pela Direção do Tribunal de Justiça. A capacitação, que já foi concluída em Rio Branco, registrou uma média de 400 servidores participantes. O Diretor de Tecnologia da Informação do TJ, Roberto Romanholo, aprova a participação de funcionários. "O aprendizado tem sido bom e a agenda do treinamento está sendo rigorosamente cumprida”, afirmou.

A agenda de treinamento foi instituída pela Portaria Conjunta nº 42 (Diário da Justiça Eletrônico de 10.07.2009, fls. 3 e 4), assinada pelos desembargadores Pedro Ranzi, Presidente do Tribunal de Justiça, e Samoel Evangelista, Corregedor Geral da Justiça. O treinamento dos servidores das unidades judiciárias de Rio Branco terminou nesta segunda-feira, 27.

Paralelamente, nesta mesma data teve início o treinamento nas comarcas do interior. No dia 22 de julho foi divulgado o calendário dessa segunda etapa de treinamento, que começou nesta segunda-feira em Brasiléia e terminará no dia 8 de agosto em Cruzeiro do Sul.

Em virtude das atividades relacionadas ao treinamento, e de acordo com o calendário definido pela DTI, a Direção do Tribunal de Justiça determinou a suspensão dos trabalhos em cada unidade judiciária, assim como foi realizado na Comarca de Rio Branco.

Servidores aprovam treinamento

A servidora Shirley Ferreira, que trabalha na Coordenação do Programa Justiça Comunitária Itinerante, ligado ao 3º Juizado Especial Civil de Rio Branco, participou do curso de treinamento sobre as Tabelas Processuais Unificadas.

“O sistema de tabelas unificadas vai facilitar e muito o trabalho dentro do cartório, pois agora vamos usar uma linguagem universal”, afirma a servidora. “A princípio o curso é difícil, até pela novidade da implantação do sistema, mas acredito que com o passar do tempo vai ser de bom proveito para os servidores e trará facilidade para todos”.

Amara Costa, lotada na Secretaria do 3º Juizado Civil, achou difícil o começo do curso, mas ao final da atividade compreendeu o funcionamento do novo sistema e acredita que ele será um bom instrumento de trabalho. “A questão mais importante que o instrutor nos explicou é que todos os servidores devem saber utilizar o programa como um todo, não podem mais se limitar apenas ao trabalho do seu setor. Essa idéia da integração é muito interessante”.

O que são as Tabelas Unificadas

A Tabela Processual Unificada é um procedimento previsto na Resolução nº 12 e reforçado pelas Resoluções nº 46 e 65, todas do Conselho Nacional de Justiça. Elas representam um passo importante na integração entre os organismos do Judiciário, por meio da uniformidade administrativa, funcional, de organização e de atuação, com o objetivo de aperfeiçoamento dos serviços prestados.

A unificação de nomenclaturas e de classificação de processos possibilitará uma integração de informações entre os diferentes tribunais do Brasil, sejam trabalhistas, federais, militares ou estaduais. A partir do trabalho coordenado pelo CNJ, foram criadas três tabelas Processuais Unificadas para o Poder Judiciário: 1) Tabela de Assuntos Processuais; 2) Tabela de Classes Processuais; e 3) Tabela de Movimentação Processual.

O objetivo é que todos possam ter uma base comum e a partir dela sejam colhidos indicadores que vão possibilitar uma análise mais adequada do funcionamento do Judiciário nacional, bem como, dentre outras questões, o de identificar com maior exatidão o tempo médio de duração de cada fase do processo e os seus maiores entraves, a fim de permitir a adoção de intervenções mais precisas e pontuais.

Hoje não existe um sistema único de classificação, o que implica em retrabalho, demoras e aumento de custos. A adoção das tabelas unificadas significa uma interligação de sistemas informativos das diferentes instâncias judiciais, que possibilita melhoria no intercâmbio das informações entre sistemas e bases de dados, gerando maior racionalidade no fluxo do processo, encadeamento lógico dos atos processuais e maior celeridade na entrega jurisdicional.

Confira aqui o novo calendário de treinamento.

 

Leia mais:

           

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 28/07/2009