Projetos acreanos são homenageados no 17º Prêmio Innovare

O Prêmio Innovare tem como objetivo identificar, divulgar e difundir práticas que contribuam para o aprimoramento da Justiça no Brasil

O 17º Prêmio Innovare anunciou os vencedores nesta terça-feira, dia 1° de dezembro, durante uma transmissão ao vivo pelo Youtube. Entre os 646 inscritos haviam dois finalistas acreanos, que foram homenageados nesta edição.

Um deles foi o projeto de monitoramento da qualidade do ar, iniciativa coordenada pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e Cultural e Habitação e Urbanismo (CAOP-MAPHU), em parceria com o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) e Universidade Federal do Acre (Ufac).

A cerimônia de premiação foi conduzida pelo jornalista Heraldo Pereira. “Conhecer a Justiça por meio de iniciativas de sucesso mostra que em todo o país há um esforço para melhorar a qualidade dos serviços, assim vamos entregar à sociedade um conjunto de boas soluções, que aqui foram reconhecidas e podem ser replicadas”, disse o apresentador.

Inédito e focado na sustentabilidade, o projeto de monitoramento da qualidade do ar, concorreu com outras 114 práticas e foi homenageado na categoria Ministério Público.

Na categoria Juiz, a homenagem foi para a Justiça do Trabalho de Plácido de Castro, que apresentou o projeto Judiciário Humanizado e sem Fronteiras. Conheça as iniciativas premiadas:

  • Categoria Tribunal: Dia do Encontro – Rio Grande do Sul (RS);
  • Categoria Juiz: Transação Tributária – Blumenau (SC);
  • Categoria Ministério Público: Comissão de Alimentos Tradicionais dos Povos no Amazonas (Catrapoa) – Manaus (AM);
  • Categoria Defensoria Pública: Defesa das garantias pré-processuais dos detidos em flagrante no âmbito da Delegacia de Polícia – Porto Alegre (RS)
  • Categoria Advocacia: Implantação do Sistema de Inteligência Jurídica da AGU (Sapiens) – Brasília (DF);
  • Categoria Justiça e Cidadania: Projeto Campanha Ceará Sem Racismo – Respeite minha história, respeite minha diversidade – Fortaleza (CE);
  • Categoria CNJ Gestão Judiciária: Gestão Judiciária BI/eCorreição – Salvador (BA);
  • Categoria Destaque: Eixo Direito à Segurança Pública e Acesso à Justiça – Rio de Janeiro (RJ).

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:,

Fonte: DIINS Atualizado em 01/12/2020