Projeto Começar de Novo: Reeducandos concluem cursos de qualificação profissional em Rio Branco

63 reeducandos dos regimes aberto, semi-aberto, Prestação de Serviços à Comunidade (PSC), e livramento receberam neste final de agosto os certificados de conclusão referentes aos cursos de carpinteiro, pedreiro, pintor – oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) -, e de gestão empreendedora, oferecido pela Fundação Bradesco.

A solenidade ocorreu na sede do SENAI, sendo conduzida pelo Presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Desembargador Pedro Ranzi, e pela Juíza de Direito Maha Manasfi, titular da Vara de Execuções Penais (VEP) e da Central de Penas Alternativas (CEPAL) da Comarca de Rio Branco. Também estiveram presentes a Promotora de Justiça Joana D’arc; a Diretora Regional e Diretor do SENAI, Solange Chalub e Jorge Tomás, respectivamente; o gerente do Núcleo da Construção Civil, Arides Rodriguese e Renato Almeida, Diretor do Centro de Tecnologia da Madeira e Mobiliário (CETEMM).

O Desembargador-Presidente Pedro Ranzi destacou a importância de parcerias institucionais e do engajamento da sociedade para a ressocialização dos reeducandos. “Sinto-me feliz e honrado por entregar estes certificados, que representam a qualificação profissional, para que vocês possam ter uma nova perspectiva e seguir um novo caminho. Tanto as instituições quanto a sociedade precisam ser sensíveis a essa questão da ressocialização. Só tenho que agradecer ao SENAI e a Juíza Maha, por realizarem este trabalho tão importante e exemplar”, afirmou.

Maha Manasfi conclamou os reeducandos a valorizarem a iniciativa. “A partir de agora, com essa capacitação, vocês podem conseguir um emprego e se estabelecer no mercado de trabalho, principalmente porque a área de construção civil está em plena ascensão no Estado. Mas vocês precisam valorizar esta oportunidade de começar uma nova vida, pois nós continuaremos vigilantes e não seremos tolerantes se voltarem a praticar crimes”, advertiu a magistrada.

Os cursos de carpinteiro, pedreiro e pintor, cada qual destinado a 20 reeducandos, foram iniciados em junho e concluídos neste mês de agosto. Três reeducandos também terminaram o de gestão empreendedora.

Já o curso de eletricista tem duração de dois anos, consiste em aulas práticas e teóricas e formará 10 profissionais que, ao mesmo tempo, receberão o diploma equivalente ao 2º grau. Todas as atividades são acompanhadas e fiscalizadas pela equipe técnica da CEPAL.

Ao agradecer também o apoio da Fundação Bradesco, a juíza informou que parcerias com outras instituições estão sendo celebradas, com o objetivo de promover cursos de capacitação aos apenados, como também para ofertar vagas de trabalho a egressos do sistema carcerário. A ressocialização de detentos também atende as diretrizes do Programa Começar de Novo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 05/06/2015