Projeto Cidadania e Justiça na Escola: Plácido de Castro conclui atividades com júri simulado e concurso de redação

Encerraram-se na última quinta-feira (18) as atividades do projeto “Cidadania e Justiça na Escola”, na Comarca de Plácido de Castro.

O projeto, desenvolvido pelo TJAC e Escola Superior da Magistratura do Estado do Acre (Esmac), é inspirado nos moldes de outro projeto – o “Justiça e Cidadania Também se Aprendem na Escola”, formulado pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

O objetivo é um só: contribuir com o processo de formação da cidadania das próximas gerações, através de palestras e outras atividades educativas desenvolvidas em escolas da rede pública de ensino e nas dependências do Poder Judiciário.

Palestras e visitas guiadas

Em Plácido de Castro, as atividades tiveram início no dia 4 de junho deste ano, com a palestra “Os Três Poderes”, ministrada pela juíza titular da comarca, Shirlei Menezes, para os alunos da 5ª série da Escola Municipal de Educação Básica José Valmir de Lima. Eles puderam conferir as principais atribuições e diferenças dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, e interagir com o conceito de cidadania.

Já no dia 28 de agosto, os alunos realizaram uma visita guiada às dependências do Fórum Desembargador José Lourenço Furtado Portugal, sede da Comarca de Plácido de Castro, onde receberam explicações sobre o funcionamento das suas unidades. Eles também visitaram as instalações do Ministério Público e da Defensoria Pública, que funcionam em espaços anexos ao prédio principal.

Oi! Oi! Oi!

No último dia de atividades, 18 de outubro, na presença de pais e representantes da comunidade escolar, os estudantes realizaram a simulação de um júri popular, envolvendo os personagens da recém-encerrada novela Avenida Brasil (Rede Globo de Televisão).

Entretanto, diferentemente da trama original escrita pelo autor João Emanuel Carneiro, a versão dos alunos apresentava o personagem “Jorginho” vítima de uma trama arquitetada por “Cadinho” e “Leleco” – com inveja do sucesso de “Jorginho”, aluno bem aplicado, que sempre tirava boas notas, eles, de posse de um estilete, resolveram cortar várias poltronas da escola e colocar o objeto na bolsa da vítima para que essa fosse falsamente incriminada.

As testemunhas responsáveis por trazer a verdade à tona e impedir a condenação de “Jorginho” foram ninguém menos que os dois grandes amores de “Leleco”: “Tessália” e “Muricy”.

Uma vez em cena, a apreensão e o nervosismo inicial dos alunos, foram substituídos por um verdadeiro espetáculo, tamanha a empolgação dos alunos. A juíza Shirlei Menezes se disse encantada com a participação dos estudantes. “Fiquei realmente impressionada com os alunos”, disse a magistrada, ressaltando o envolvimento dos estudantes: “eles demonstraram interesse, responsabilidade, estudaram bastante e fizeram uma ótima apresentação. Na verdade eles incorporaram as personagens, superaram o nervosismo, e fizeram uma brilhante apresentação”, destacou.

Todo a sessão de julgamento foi realizada dentro dos trâmites legais, sendo que os demais alunos incorporaram o papel das autoridades judiciais e jurados. Ao final, “Leleco” e “Cadinho”, foram condenados à unanimidade. Como pena, eles tiveram que prestar serviços à comunidade: os dois tiveram que realizar – sozinhos – toda a limpeza da Escola José Valmir de Lima.

Redação

Além do trabalho do Júri Simulado, os estudantes também elaboraram uma redação com o tema “As Drogas”. Depois de uma banca de avaliação, foi escolhido vencedor o texto escrito pela aluna Gerlandes Pereira de Souza, que havia representado o papel de juíza durante o júri simulado.

Ao final das atividades, a juíza Shirlei Menezes e sua equipe de servidores premiou simbolicamente a melhor redação e realizou ainda a entrega dos certificados de participação no projeto a todos os alunos que participaram das atividades.

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Atualizado em 30/06/2015