Programa de Valorização dos Magistrados chega à Região Norte

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza nesta segunda-feira (8), em Manaus (AM), o Encontro Regional Norte do Programa Valorização dos Magistrados: Juiz Valorizado, Justiça Completa.

O evento, que acontece na sede do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), conta com a participação do representante do CNJ, conselheiro José Lúcio Munhoz, e reúne mais de 70 magistrados de Tribunais de Justiça, Corregedorias, Escolas Judiciais e Associação de Magistrados da Região Norte.

Representando a Justiça Acreana, participam do evento o presidente do TJAC, desembargador Adair Longuini, a diretora da Escola Superior da Magistratura, desembargadora Eva Evangelista, e os juízes Edinaldo Muniz, indicado pela Corregedoria Geral da Justiça, e Raimundo Nonato, presidente da Associação dos Magistrados do Acre.

Durante o evento os participantes irão debater mecanismos de valorização da magistratura e do Poder Judiciário, tanto em sua estrutura interna como perante a sociedade.

Antes do Norte, a iniciativa já foi apresentada pelo CNJ nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

O programa

O Programa Valorização dos Magistrados é um espaço para discussão de temas como condições de trabalho, segurança, saúde, remuneração, formação, comunicação com a sociedade, além de outros fatores que podem refletir no exercício da magistratura e na qualidade dos serviços prestados aos cidadãos pelo Poder Judiciário.

Durante todo o dia, os magistrados da região Norte estarão reunidos para discutir quatro temas: “Mecanismos de suporte e apoio ao trabalho judicial. Produtividade e qualidade da Jurisdição: métodos de avaliação e reconhecimento institucional do trabalho judicial”; “Formação ética e teórico-prática dos Magistrados e os fins da Justiça. Papel das Escolas da Magistratura”; “A visão do Judiciário e a figura pública do magistrado em ações sociais” e “Comunicação dos tribunais e Magistrados com a Sociedade”.

Os temas serão debatidos por grupos e as reflexões e conclusões apresentadas antes do final do encontro, que se encerra às 17h30.

De acordo com o coordenador do programa, conselheiro Lúcio Munhoz, presidente da Comissão Permanente de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas do CNJ, parte das propostas apresentadas pelos magistrados poderá ser contemplada em atos administrativos do Conselho.

(Com informações da Agência CNJ de Notícias e da Assessoria de Comunicação do TJAM)

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Atualizado em 30/06/2015