Programa Começar de Novo: Vepma realiza formatura de mais 30 alunos do curso de de cabeleireiros

 A última sexta-feira (20) marcou o início de uma nova etapa na vida dos 30 alunos que concluíram mais uma edição do curso de formação de cabeleireiros oferecido pela Vara de Execução de Penas e Medidas Alternativas (Vepma), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Em cerimônia realizada na sede da unidade judiciária, os formandos das turmas ‘Eva Evangelista’ e ‘Regina Cutrim’, a maior parte deles reeducandos do regime semiaberto, receberam os certificados depois de mais de seis meses e 80 horas de atividades em aulas práticas e teóricas.

Estavam presentes no evento, a decana do Tribunal de Justiça do Acre, desembargadora Eva Evangelista; a coordenadora do programa Começar de Novo no Acre, juíza Maha Manasfi; o diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Estado do Acre (Iapen/AC), Dirceu Augusto; a gerente de unidade do Senac/AC, Flaviana Paiva e a supervisora do Pronatec no Acre, Socorro Lima, além dos formandos e seus amigos e familiares.

 Victor Onofre é um dos alunos que conseguiram concluir o curso. Ele diz que a conquista do diploma profissional representa uma grande oportunidade para que egressos do sistema prisional possam alcançar um posto no mercado de trabalho. “A gente luta por um local de trabalho. Muitos aqui não têm condições de ter um negócio próprio e agora nos foi dada essa oportunidade. Esse é um processo que continua, nós vamos continuar a nos especializar cada dia mais e temos certeza que vamos ter a ajuda da Vara para isso”, disse.

A gerente de unidade do Senac/AC, Flaviana Paiva, parabenizou os formandos pela dedicação e “pela atitude de buscarem capacitação, muitas enfrentando as mais variadas adversidades para verem concretizado o sonho da qualificação profissional”.

Para a coordenadora do Começar de Novo no Acre, juíza Maha Manasfi, o programa aposta, acima de tudo, na capacidade de superação do ser humano. A magistrada cita a felicidade como um direito inalienável do ser humano, garantido até mesmo àqueles que já cometeram erros no passado. “O ser humano, quando erra, tem que pagar pelo erro. Mas isso não tira o seu direito de ter uma nova oportunidade. O ser humano tem o direito de ser feliz, mesmo quem errou tem o direito de começar de novo e construir uma vida feliz, isso deveria ter sido acrescentado ao art 5º: o direito à felicidade. Essa vitória que nós estamos presenciado hoje é de vocês, de cada aluno que dedicou seu tempo  e seu esforço, ao longo desses seis meses. Isso não é para qualquer um, só chegou ao final quem realmente quis e se esforçou. Parabéns, nós temos orgulho de vocês”, disse Maha Manasfi.

Homenagem

O evento também incluiu uma homenagem à decana do Tribunal de Justiça do Acre, desembargadora Eva Evangelista. A juíza Maha Manasfi entregou à homenageada um buquê de flores e uma placa de agradecimento “pelo apoio e pela fé depositada no trabalho de reinserção social realizado pela Vepma”.

Eva Evangelista, também parabenizou os formandos pela conquista. A mais antiga desembargadora da Corte de 2º grau da Justiça Acreana, ressaltou a importância da criação e implantação de mecanismos e programas que, a exemplo do Começar de Novo, garantam condições dignas de trabalho e renda ao egressos do sistema prisional. “Eu vejo que essa é uma possibilidade de uma nova vida, um novo trabalho e um novo caminho que eles vão seguir a partir de agora. Um caminho que leva a uma vida normal, uma vida de família, uma vida de trabalho, porque o trabalho representa muito para a recuperação da vida de um homem, de uma mulher. Não percam essa oportunidade. Essa oportunidade é única. É uma oportunidade que, eu penso, em poucos lugares do Brasil vocês teriam. E o Tribunal de Justiça tem patrocinado isso, através desse belíssimo trabalho realizado pela doutora Maha”, afirmou a desembargadora.

Atendimento voluntário

Na última quinta-feira (19), os alunos realizaram um atendimento voluntário dirigido às reeducandas da Unidade de Regime Fechado Feminino (URFF) do presídio Francisco de Oliveira Conde.

Ao todo, aproximadamente 180 reeducandas receberam atendimentos de beleza, que incluíram corte, escova, pintura e depilação.

A reeducanda Janine Rufino se disse feliz, não somente pelo atendimento de beleza recebido, mas também pela oportunidade oferecida aos colegas do regime semiaberto. “São companheiras e companheiros que estão trilhando o caminho do bem, um caminho de libertação das drogas, da prostituição. Esse é um excelente trabalho. Eu me senti mulher, a vaidade é própria da mulher. Muito obrigada, doutora Maha”, diz Janine Rufino.

Além da Unidade de Regime Fechado Feminino, os formandos também realizaram atendimentos voluntários de beleza em escolas públicas, no Salão Escola da Vepma, no Educandário Santa Margarida, na penitenciária de Senador Guiomard e no Corpo de Bombeiros, este último dirigido às crianças do projeto ‘Bombeiro Mirim’. No total, foram realizados 1.621 atendimentos.

Na opinião da diretora da unidade, Idma Biggi, ações como a realizada pelos alunos do programa Começar de Novo têm um papel importante – e inusitado – na manutenção do clima de cordialidade no convívio entre as detentas. “A gente tenta tirá-las das celas o máximo que pode – com trabalho, com escola, de várias maneiras – e atendimentos como esse nos ajudam, porque nós conseguimos tirá-las e graças a Deus, saem todas bem felizes”, considerou.

Começar de Novo

Durante o ano de 2013 já foram disponibilizados, através das instituições parceiras, cursos em todas as comarcas do Estado. Foram oferecidas vagas em várias modalidades de cursos profissionalizantes, como cursos de pintor, pedreiro, eletricista, operador de caixa, mecânico de motos, massagista, cabeleireiro, manicure, operador de máquinas florestais, mecânico de auto, técnico em refrigeração, mecânico de motor de polpa, entre outros.

Até agora já foram beneficiadas as comarcas de Rio Branco, Plácido de Castro, Brasiléia, Epitaciolândia, Senador Guiomard, Xapuri e Acrelândia.

As ações sociais são uma marca registrada do programa, idealizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e coordenado, no Acre, desde 2007, pela juíza titular da Vepma, Maha Manasfi.

O programa visa à sensibilização de órgãos públicos e da sociedade civil para que forneçam postos de trabalho e cursos de capacitação profissional para presos e egressos do sistema carcerário. O principal objetivo do programa, portanto, é promover a cidadania e assim, reduzir a reincidência de crimes.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Atualizado em 22/06/2015