Os acertos e avanços na gestão que levaram o TJAC ao Selo Ouro

O TJ acreano foi um dos setes tribunais estaduais a ganhar o Selo Ouro 2020.  

O Tribunal de Justiça do Acre está em comemoração pela conquista do Selo Ouro no Prêmio CNJ de Qualidade 2020. Nesta segunda-feira, 30, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Júnior Alberto, representando o presidente, desembargador Francisco Djalma, concedeu entrevista coletiva e ressaltou que o resultado é fruto do acerto da gestão.

Anunciado na última sexta-feira, 27, o TJ acreano foi um dos setes tribunais estaduais a ganhar o Selo Ouro. O prêmio significa o reconhecimento, pelo Conselho Nacional da Justiça, pela gestão estratégica, governança, produtividade, transparência, gestão de dados e tecnologia trabalhados pela instituição, resultando na melhoria da qualidade da prestação jurisdicional.

“Os acreanos podem se orgulhar que tem um tribunal eficiente, produtivo, racional na aplicação de recursos e que presta serviço de qualidade. Temos alguns pontos fracos, mas vamos trabalhar para melhorá-los”, disse o corregedor, destacando que a diferença de pontuação foi mínima (15%) entre o TJAC e os três tribunais que ganharam o Selo Diamante (TJDFT, TJRR e TJRO).

 

Todos os 91 tribunais brasileiros participaram do Prêmio CNJ de Qualidade, incluindo os tribunais superiores. A premiação foi criada em 2019, em substituição ao antigo Selo Justiça em Números, implementado desde 2013.

Na oportunidade, o desembargador-corregedor destacou o desafio de algumas atividades como, por exemplo, a atualização das tabelas processuais no sistema Datajud. Essa atualização foi possível para fazer o levantamento da contabilidade e remessas da produtividade e movimentações processuais ao CNJ.

“Se não tivéssemos feito esse procedimento de modernização, teríamos perdido muitos pontos. Tivemos problemas grandes nessa implementação, mas é natural porque toda mudança de sistema traz algum percalço. Todas as questões foram superadas”, acrescentou.

Ao finalizar, o corregedor explicou que o TJAC está com mais de 60% dos cargos de juízes vagos, sendo o tribunal com menos número de juízes trabalhando em comparação com outros tribunais. “Nossos magistrados vestiram a camisa. Deram o melhor que podiam para a nossa produtividade ser uma das melhores do país”, concluiu.

O Prêmio CNJ de Qualidade para o ano de 2020, de acordo com a Portaria CNJ nº 88 de 8 de junho de 2020, apresentou avanços em relação ao ano anterior, tendo sido implementadas mudanças nos critérios de pontuação e avaliação a pedido dos tribunais. Também foi considerada a situação emergencial do país e, consequentemente, do Poder Judiciário, com o enfrentamento à pandemia da COVID-19.

Ao receber a notícia do Selo Ouro, durante o XIV Encontro Nacional do Poder Judiciário, o desembargador-presidente Francisco Djalma salientou que o prêmio é fruto do desempenho de todos aqueles que fazem o Poder Judiciário, destacando-se, neste particular, os componentes da administração.

Postado em: COGER, Galeria, Notícias | Tags:, ,

Fonte: Atualizado em 30/11/2020