Mulher ganha na Justiça indenização de companhia aérea por realocamento em voo

Remarcação em voo prolongou percurso que seria feito em 1h30 para 10h. Consumidora foi indenizada por danos morais.

A 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais manteve a obrigação de companhia aérea em indenizar passageira em R$ 3 mil, por cancelamento de voo. Os direitos da consumidora foram violados quando a viagem foi remarcada, pois o deslocamento que levaria 1h30 foi realizado em mais de 10h.

Em suas alegações, a empresa afirmou que a alteração se deu pela reestruturação da malha aérea. Na decisão, foi assinalado que o ato foi ilícito “vez que houve inadimplemento contratual e nesse caso extrapolou os limites da razoabilidade e proporcionalidade”.

O juiz de Direito José Wagner, relator do processo, salientou que o cancelamento de voo provocou reacomodação mais gravosa à consumidora, o que ensejou a reparação por danos morais.

A decisão foi publicada na edição n° 6.416 do Diário da Justiça Eletrônico (fl. 8), do dia 19.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:,