Mecanismos de proteção e privacidade on-line são apresentados em palestra da Justiça acreana

Encontro virtual promovido pela Corregedoria-Geral da Justiça do Acre mostrou a importância da adoção de medidas de segurança para proteção de dados pessoais na internet

Clonagem da conta de WhatsApp, roubo de dados, invasão de contas, uso de fotos extraídas de perfis de mídias sociais digitais para o cometimento de crimes ou aplicação de golpes, esses são apenas alguns dos exemplos de crimes virtuais rotineiros apresentados e debatidos durante a palestra “Proteção e Privacidade on-line”, promovida pela Corregedoria-Geral da Justiça do Acre (Coger), que ocorreu na quarta-feira, 18.

O encontro foi realizado em plataforma virtual e em torno de 50 participantes, entre desembargadores, juízes, membros do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), delegados de Polícia Civil do Acre, agentes da Polícia Federal (PF) e servidores, puderam conhecer dicas de segurança na internet com o delegado da Polícia Civil do Piauí, Alesandro Barreto, que é coordenador do Laboratório de Operações Cibernéticas (CGCCO/DIOP/SEOPI/Ministério da Justiça e Segurança Pública).

Durante as duas horas de explicação, o palestrante discorreu sobre os ataques mais comuns ocorridos no ambiente online e as medidas de segurança que podem ser adotadas para dificultar ou até evitar ser vítima desses tipos de crimes. Mas, mesmo elencando uma série de dicas e parâmetros possíveis de serem adotados por qualquer usuário, o delegado Barreto enfatizou em vários momentos que para se proteger dessas práticas, “o caminho mais forte é a educação digital”.

Não compartilhar senhas, realizar os procedimentos segurança indicados pelos próprios sites de relacionamentos digital, conversar com familiares e amigos para eles duvidarem de informações, especialmente, aquele emails ou mensagem com propostas, convites ou brindes surpreendentes, são algumas das orientações simples e necessárias fornecidas na palestra.

Para o corregedor-geral da Justiça, desembargador Júnior Alberto, o momento foi oportuno diante dos ataques cibernéticos que as instituições públicas sofreram e ainda permitiu ampliar o diálogo entre os representantes dos órgãos de segurança que atuam nessa área.

“Além do aprendizado o evento trouxe essa oportunidade ímpar do estreitamento de laços entre as instituições que trabalham com essa questão. Precisamos saber como prevenir, como proteger nossas informações, como ter perfis nas redes sociais online”, comentou o corregedor.

Dicas

O encontro iniciou com o dispositivo de honra, composto pelo corregedor-geral, pelo desembargador Samoel Evangelista, pelo procurador da Justiça do MPAC, Celso Jerônimo, pelo presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), juiz de Direito Danniel Bomfim, pelo secretário adjunto da Polícia Civil do Acre, delegado Alex Cavalcante, pelo chefe do setor de Tecnologia da PF, agente Edkallenn Lima, e pelo palestrante.

O delegado apresentou caminhos que as autoridades judiciárias e policiais podem usar para levantamento de informações e solicitar ações emergenciais das empresas que controlam os sites de relacionamento, em casos de ameaça à vida.

De acordo com o palestrante, que publicou diversos livros sobre proteção e privacidade on-line, não é preciso ser um especialista em Tecnologia da Informação para evitar ser alvo de estelionatários digitais. Afinal, como o agente da Polícia Federal falou “o cuidado com compartilhamento de senhas é algo simples, mas efetivo. Não empreste sua senha. Precisamos comparar as senhas com a nossa roupa íntima, você não empresta sua roupa íntima. Então, não empreste sua senha”.

Fique atento a algumas instruções que toda pessoa pode e deveria fazer:

-Cuidado com abordagens de pessoas com poucos contatos no perfil;

– Não dê informações sobre seu futuro. Quer falar da viagem? Mostra depois que já voltou;

– Cuidado com fotos que identifiquem os locais onde você mora, mostrando nome de ruas, nomes de locais onde você esteve, onde seu filho estuda;

– Customize as configurações de privacidade nas redes sociais, não mostre telefone, email, ou vínculos de parentescos;

– Verifique com frequência as sessões ativas onde você conecta email e WhatsApp Web;

– Evitar usar wifi pública para realizar transações bancárias;

– Desabilite o bluetooth do celular quando não está utilizando;

– Utilize cartão virtualizado em compras online;

-Mantenha antivírus atualizados;

– Evite publicar informações sobre sua rotina, cuidado divulgar informações de certificados.

 

Postado em: Galeria, Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: GECOM Atualizado em 19/11/2020