Justiça do Acre autoriza incineração de quase 800 quilos de entorpecentes

A juíza substituta Cibelle Nunes, respondendo pela Vara de Delitos de Drogas e Acidentes de Trânsito da Comarca de Rio Branco, acompanhou nesta terça-feira (16) a incineração de cerca de 800 quilos de entorpecentes, ocorrida na Cerâmica Iguatú, localizada no Km 5 da Rodovia AC-40 (Transacreana).

A própria magistrada autorizou a queima do material, que é resultante das operações de repressão ao tráfico de drogas no decorrer deste ano, realizadas pelas polícias Federal e Civil em Rio Branco, Epitaciolândia e Cruzeiro do Sul.

Além da juíza substituta, também estiveram presentes representantes da Polícia Federal, Polícia Militar, Ministério Público do Estado Acre (MPAC) e da Vigilância Sanitária Estadual. “Todos sabemos que o consumo da droga assola a sociedade e causa danos irreparáveis às comunidades. A Justiça tenta combater e reprimir essa invasão e como aqui é um estado de fronteira, a interceptação evita que o entorpecente chegue aos demais estados do País”, assinalou.

De acordo com o titular da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Federal, Leandro Ribeiro, a ação é resultado do trabalho árduo não só das polícias, mas de todas as instituições empenhadas no combate ao tráfico de drogas.

“Hoje nós temos o prazer de realizar a incineração desta quantidade de entorpecentes, que representa o fruto de um trabalho árduo de todos os policiais que são empenhados no combate ao tráfico de drogas, bem como de nossos parceiros”, disse.

Também o promotor de Justiça Tales Fonseca ressaltou a importância das ações conjuntas desenvolvidas pelas instituições no combate ao tráfico de drogas no Estado.

“É importante para mostrar para a sociedade o resultado físico das apreensões realizadas e dos trabalhos desenvolvidos pelas polícias e pelo Judiciário”, falou.

Por sua vez, o representante do comando da Polícia Militar do Estado do Acre (PMAC), Coronel Teles, falou sobre a felicidade de presenciar a conclusão do trabalho ostensivo realizado pela corporação em parceria com as demais polícias.

“É um prazer muito grande incinerar essa substância entorpecente que tantos males tem causado à sociedade. Temos realizado operações integradas com as polícias Federal e Civil, e também com o Poder Judiciário, que vem validando e apoiando as ações, o que nos deixa muito feliz”, considerou.

De acordo com fontes da PF, caso toda a droga apreendida tivesse chegado ao mercado ilícito do tráfico seria o suficiente para movimentar aproximadamente R$ 5 milhões.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 19/12/2014