Justiça acreana integra Grupo de Trabalho nacional para proteção à mulher

Coordenadorias Estaduais das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar de todo país reuniram-se virtualmente para traçar ações enfrentamento a esses crimes

Na quinta-feira, 28, representantes dos tribunais de Justiça de todo país participaram de videoconferência para debaterem estratégias de enfrentamento ao aumento dos casos de violência doméstica e familiar. A reunião foi organizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Poder Judiciário do Acre, por meio da Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar (COMSIV), participou do encontro.

Este Grupo de Trabalho foi instituído pela Portaria n°70/2020 do CNJ e para ampliar suas ações tem dialogado com as Coordenadorias das Cortes da Justiça do Brasil. A principal finalidade da mobilização é elaborar estudos para indicar soluções voltadas à prioridade de atendimento das vítimas de violência doméstica e familiar, ocorrida durante o isolamento social.

A preocupação com o agravamento desses crimes durante a pandemia da COVID-19 tem desencadeado uma série de campanhas de ampliação dos canais de atendimentos às vítimas. Pois, com a quarentena domiciliar, as mulheres ficam enclausuradas com os agressores, ocorrendo crescimento desta violência e diminuição das denúncias, pelas dificuldades que as vítimas podem ter em noticiar o crime.

A coordenadoria da COMSIV da Justiça acreana, desembargadora Eva Evangelista participa e articula reuniões com diversos parceiros, pois estes encontros tanto a nível local, nacional e internacional mobilizam as instituições públicas e entidades intensificando o combate a violência doméstica e familiar. Dessa forma, procura-se proporcionar mais celeridade e efetividade nos serviços jurisdicionais prestados e na proteção às mulheres.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:, ,

Fonte: Atualizado em 28/05/2020