Judiciário participa do lançamento do ProAcre

Novo programa do Governo Estadual investirá US$ 150 milhões em saúde, educação e produção sustentável para as comunidades mais isoladas do Estado.

Na tarde de ontem, 22, o Governador Binho Marques assinou o decreto que cria o Comitê Consultivo do Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado do Acre (ProAcre), em cerimônia no auditório do Colégio Estadual Armando Nogueira, em Rio Branco.

O evento contou com a presença da chefe da missão do Banco Mundial que avaliou e estruturou o projeto, Adriana Moreira, além de técnicos do Bird e autoridades como os presidentes do Tribunal de Justiça, Desembargador Pedro Ranzi, e da Assembléia Legislativa do Acre, Deputado Edvaldo Magalhães.

A medida marcou o lançamento oficial do ProAcre, que em seis anos irá atender a pelo menos 200 mil pessoas nos 22 municípios do Estado com investimentos de US$ 150 milhões em todas áreas do desenvolvimento humano, com ênfase em saúde, educação e produção sustentável.

O programa irá aumentar de 3,8 para 4,7 o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) – número acima da média nacional. Também irá proporcionar aumento de 34% para 56% de mulheres grávidas que fazem seis consultas de pré-natal; aumento da sobrevivência de 90% para 96% de recém-nascidos com baixo peso; aumento nas consultas ambulatoriais de 7% para 67% nas comunidades isoladas, e aumento em 30% da renda da população beneficiada.

O ProAcre, segundo Binho Marques, apesar de estar começando não é um programa imaturo. Ao contrário, está amadurecido pela experiência da promoção humana obtida nos últimos trinta anos, desde o trabalho pioneiro do Projeto Seringueiro, que com US$ 17 mil estabeleceu uma rede de ensino com 40 escolas, montou uma cooperativa e 12 postos de saúde em comunidades remotas do Vale do Acre.

"Com este projeto que nasceu maduro, vamos fazer uma integração sem cidadãos de primeira ou segunda categoria, que terão sua autonomia garantida", disse o Governador.

O ProAcre deve alavancar os esforços do Governo do Acre em promover a inclusão social e econômica das populações em situação de pobreza, vulnerabilidade e risco social, residentes tanto nas áreas urbanas quanto nas áreas rurais isoladas ou remotas do Estado.

Do total que vem sendo investido, US$ 120 milhões foram financiados pelo Banco Mundial e os US$ 30 milhões restantes representam a contrapartida do Governo do Acre. Ao contrário dos projetos convencionais, o ProAcre estabeleceu desafios e paradigmas para o Banco Mundial. "De sua concepção até a aprovação foram dez meses, uma inovação no banco", comentou Adriana Monteiro.

Para a elaboração do projeto foram treze missões e visitas técnicas do Bird ao Acre. No dia 19 de dezembro o Governador e a cúpula do banco assinaram o acordo de empréstimo número 7625. A efetividade do documento se deu em 30 de janeiro deste ano.

(Com informações e fotografias da Agência de Notícias do Acre).

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 23/04/2009