Judiciário participa de reunião sobre a segurança na região de fronteira do Acre

O Gabinete de Gestão Integrada (GGI), órgão consultivo e deliberativo de acompanhamento e monitoramento das políticas de segurança pública, ligado à Secretaria de Segurança Pública, reuniu-se na última sexta-feira, 29, para tratar um tema específico: a segurança na região de fronteira do Estado do Acre.

Realizada no auditório da Secretaria, a reunião contou com a participação de representantes de diversas instituições ligadas à questão da segurança pública e justiça, como Tribunal de Justiça, representado por seu Presidente, Desembargador Pedro Ranzi, Polícia Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Superintendência da ABIN no Acre, Instituto de Administração Penitenciária, Ministério Público Estadual e os prefeitos das cidades de fronteira – Brasiléia, Epitaciolândia e Assis Brasil.

Durante a reunião ficou definida a criação de um grupo de trabalho que ficará responsável pela realização de um diagnóstico sobre o tráfico de drogas na região de fronteira. O levantamento dos dados servirá de base para definição de ações integradas com o objetivo de solucionar a questão, visando diminuir os índices de violência na área.

“Trata-se de um verdadeiro arranjo institucional que irá atuar de forma preventiva e repressiva”, destacou a Secretária de Segurança, Márcia Regina.

Os prefeitos de Epitaciolândia, José Ronaldo, e de Brasiléia, Leila Galvão, destacaram a importância de medidas mais efetivas em relação às pontes dos dois municípios que ligam o Acre à Bolívia. A sugestão é de haja fiscalização rigorosa no lado brasileiro e que elas sejam fechadas no período da noite para o trânsito de veículos. “Parte dos problemas relacionados à violência seriam diminuídos com esta medida”, disse José Ronaldo.

Para ampliar as ações de segurança na área de fronteira o Governo do Estado implantou o 10° Batalhão da Polícia Militar e instituiu no município de Brasiléia a sede da regional do Alto Acre, reafirmando a política de trabalhar a segurança pública de forma regionalizada e integrada.

“Com o policiamento ostensivo e a realização de fiscalização conjunta, os resultados já começaram a ser sentidos pela população”, destacou Leila Galvão.

 

Leia mais:

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 01/06/2009