Judiciário Acreano realiza expedição para atender população no município de Jordão

Não há um município no Estado onde a Justiça Acreana não esteja atuando. Mesmo nos rincões, aonde só é possível chegar de barco ou avião, ali haverá a presença do Judiciário.

Prova disso, é que uma equipe da Comarca de Tarauacá se deslocou neste final do ano até Jordão, localizado a aproximadamente 700 km de Rio Branco, para garantir acesso à Justiça aos cidadãos daquele lugar.

A expedição foi formada pelo juiz de Direito Erik Farhat e pelos servidores José Alex, Abimael de Almeida e Antônio Leão. Eles foram acompanhados pelo representante do Ministério Público Estadual, promotor de Justiça Luis Henrique; pelo representante da Defensoria Pública do Estado, defensor Público Gilberto Campelo e pelo representante da Ordem dos Advogados do Brasil, advogado José de Lima.

A equipe realizou atividades naquela localidade, com atendimentos aos cidadãos do município, a realização de 24 audiências cíveis (Vara Cível e Juizado Espacial Cível), 15 quinze audiências criminais (Vara Criminal e Juizado Especial Criminal), além do serviço de consulta a processos de três instruções e respectivas sessões do Tribunal do Júri em processos de réus presos.

Titular da Vara Criminal da Comarca de Tarauacá, o juiz Erik Farhat falou a respeito de como a expedição foi recebida pelas pessoas em Jordão. “Com a chegada da equipe, a população se sentiu valorizada, atendida em suas demandas relativas às questões judiciais – muitas das quais angustiam as pessoas. Essas questões são resolvidas, muito casos decididos, diálogos são reestabelecidos etc. Isso tudo também gera bastante satisfação aos profissionais envolvidos”, afirmou.

Tribunal do Júri

Um diferencial dessa viagem foi a realização de três júris no mesmo dia, todos de réus presos. Os quatro acusados, presos em Tarauacá, foram levados juntamente com a escolta até o Jordão, por uma aeronave custeada pelo Governo do Estado.

A iniciativa foi relevante porque permitiu à população local acompanhar de perto o julgamento dos acusados. Muitos se detiveram minuto a minuto acompanhando o julgamento dos quatro acusados – o que aconteceu em um único dia.

Em razão das dificuldades de acesso ao município, a expedição resulta da logística considerável logística envolvida, além do apoio de outras instituições e seus respectivos profissionais. Trata-se de uma demanda decorrente da cidadania.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Atualizado em 18/06/2015