Jorge Araken – legado e história na Justiça do Acre

Um homem do Direito e das letras, que deixa conhecimento e pensamentos compartilhados em livros e discursos

Certamente falar de Jorge Araken Faria da Silva vai além do legado no Poder Judiciário do Acre ou na academia, pois é comum encontrar pessoas com histórias para contar sobre sua trajetória e seu jeito ímpar. Admirado por sua intelectualidade e conhecimento, o desembargador aposentado faleceu no último sábado, 12.

Foram diversas manifestações e homenagens feitas ao longo do dia por colegas de profissão, ex-alunos, autoridades, familiares, amigos. O Tribunal de Justiça do Acre, decretou luto oficial de três dias, e o Palácio da Justiça teve os seus pavilhões colocados a meio mastro.

Homenagem do Judiciário com a Medalha do Cinquentenário.

Nascido na cidade do Rio de Janeiro, o desembargador tinha 83 anos e faria aniversário no dia 16 de dezembro. Comemoraria a nova idade recebendo a homenagem do professor Edson Ferreira, que foi seu aluno e escreveu um livro de memórias de Jorge Araken, com a co-participação da desembargadora Eva Evangelista. Mas a homenagem será organizada e realizada in memória por seus três filhos e três netos, em parceria com o TJAC.

Em sua trajetória no Poder Judiciário, de 1968 a 1985, Jorge Araken foi o único desembargador, até então, presidente por dois mandatos (1974 – 1975 e 1984 – 1985), quando a Corte Acreana de Justiça era composta ainda por cinco desembargadores.

Jorge Araken assinando sua segunda posse como Presidente

Em uma de suas últimas entrevistas concedida à Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), ele relembrou tal período, dizendo que aquele era o tempo das máquinas datilografia.  “Eu era do tempo da datilografia. Mas hoje, está tudo cada vez mais avançando, e o que vem mais pela frente ninguém pode imaginar”, falou.

Ele dizia também que considera três pilares essenciais na vida de um magistrado. São eles: independência, coragem e preparo. Sobre a independência, Jorge Araken falava que “os três poderes devem respeitar-se, mas sem interferir no trabalho do outro. O juiz tem uma missão e deve cumpri-la com independência”.

Ao discorrer sobre a coragem, Araken de forma enfática, disse que jamais um juiz pode ser covarde. “Se o juiz tiver medo, quem vai defender a comunidade? Ele precisa aplicar o direito a todos. Todos tem princípios e regras a respeitar”.

E talvez um dos pilares que mais exercitava, era exatamente o do preparo, pois era um exemplo sobre estudo. “O juiz quanto mais preparado melhor, quanto mais estudioso, mas ele terá uma posição para decidir. É importante que ele tenha uma consciência científica, tenha retidão ao decidir. Decisão judicial é obrigatoriamente fundamentada em critérios científicos”, falava.

Assim Jorge Araken se despediu de sua história de vida, sempre com altivez em seus pensamentos e discursos, fazendo questão de compartilhá-los. Com um legado na vida profissional, atual de forma magistral na prestação dos serviços jurisdicionais, ele também se dedicou a aprender e compartilhar na vida acadêmica e literária.

Cada um dos 12 atuais desembargadores do Acre manifestaram seu carinho e admiração pelo desembargador Jorge Araken. Confira!

Desembargador Franscisco Djalma

“O Poder Judiciário do Estado do Acre recebeu, com muita tristeza, a notícia do falecimento do desembargador Jorge Araken. Infelizmente, por conta da enfermidade causadora do seu falecimento, não pôde proporcionar as últimas homenagens para que dele pudesse se despedir. Nesse contexto, o Poder Judiciário do Acre decretou luto oficial por essa lamentável perda. O desembargador Jorge Araken era dotado de muitas virtudes e deixou muitos ensinamentos para todos nós”

Presidente do TJ, desembargador Francisco Djalma


Desembargador Laudivon Nogueira

“Desembargador Araken teve uma vida inspiradora e diferenciada. Homem de uma mente brilhante, grande estudioso do Direito, foi exemplo de bom cidadão, juiz exemplar, profissional ético e compromissado com a causa da Justiça. De alma generosa, dotado de muitas virtudes, sempre estava pronto a ensinar com entusiasmo. Suas lições não serão esquecidas e estão marcadas no coração de todos nós que integramos a magistratura do Estado do Acre. Que Deus o receba com alegria em sua Glória Eterna”

Vice-presidente Laudivon Nogueira


Desembargador Júnior Alberto

“A comunidade jurídica perde uma referência da cultura do direito, ele que, como mestre na cátedra de processo civil, contribuiu durante muitos anos para a formação de excelentes profissionais, que hoje ocupam funções de destaque na efetivação da Justiça, sejam advogados, defensores, procuradores, membros do Ministério Público e da magistratura. Seu corpo agora jazz inerte, mas sua memória e bons serviços prestados permanecerão sempre vivos em nossa lembrança. Obrigado Des. Araken por semear entre nós o amor pelo direito e pela Justiça”

Corregedor-geral da Justiça, desembargador Júnior Alberto


Desembargadora Eva Evangelista

“Pessoa dotada de humanidade, atencioso e de espírito arguto, lecionou no curso de Direito da UFAC, disseminando à jovem geração de estudantes de direito, sua cultura e vasta experiência jurídica. Colheu o respeito, admiração e estima no meio acadêmico.  Na magistratura e na advocacia  a todos serviu de alento e inspiração, as lembranças e lições recebidas  das esmeradas peças processuais que produziu, verdadeiras fontes de pesquisas. Perdemos o amigo e o mestre”

Desembargadora Eva Evangelista


Desembargador Samoel Evangelista

“O desembargador Araken deixa um grande vazio no Poder Judiciário e no Acre, sobretudo porque ele plantou saber. Tive a honra de ter sido seu aluno na Ufac e as suas lições permanecem na minha mente até hoje. São notáveis e inesquecíveis o seu saber, a sua ética a sua dedicação e entrega a tudo o que fazia. Grande magistrado, professor respeitado e intelectual de primeira grandeza, a sua partida no entristece, mas ao mesmo tempo nos estimula a seguir o seu exemplo. O Poder Judiciário e o Acre devem muito a esse Grande Homem. Obrigado Mestre Araken”

Desembargador Samoel Evangelista


Desembargador Pedro Ranzi

“Recebi com tristeza a notícia da morte do nosso colega desembargador Jorge Araken. Foi um grande magistrado e professor muito admirável. Ensinou muito e dividiu conhecimentos que, com certeza, muitos carregam até hoje e continuarão carregando. Ele se foi, mas seus ensinamentos ficaram. Acredito que todo o sistema de justiça hoje perde um grande companheiro de jornada. Que Deus conforte o coração de todos nesse momento de dor”

Desembargador Pedro Ranzi


Desembargadora Denise Bonfim

“Além da tristeza que nos assola neste momento de pesar, tenho a dizer que o mundo do conhecimento também amanheceu de luto neste sábado, pois perdeu um de seus grandes estudiosos, um aficionado pela leitura e pelo saber. Descanse em paz, desembargador Jorge Araken.”

Desembargadora Denise Bonfim


“Desembargador Araken, firme nas suas convicções, forte nas suas decisões, simboliza o agir de um magistrado culto e digno. Meus sentimentos a família e amigos nesse momento de luto”

Desembargador Élcio Mendes


Desembargadora Waldirene Cordeiro

“É com imensa emoção que recebo a notícia da partida do meu professor e eminente desembargador Jorge Araken. Servidor fervoroso da causa pública, juiz de excelência, que honrou sem ressalvas a toga vestida e, certamente, com sua voz retumbante, pregará incansavelmente a ética, a honestidade e a justiça no infinito. Deus, em sua grandeza, receberá esse honrado servo. Vá em paz”

Desembargadora Waldirene Cordeiro


Desembargadora Regina Ferrari

“Ele acreditava na ciência, ética e razão, hoje tão negadas. Ele não pode receber todas as homenagens pelo Tribunal. Mas, em muita luz, foi recebido no Tribunal Celestial com todas as honras de  anjos divinos. Agora, está assentado ao lado do grande e justo Juiz, como um príncipe da Justiça”

Desembargadora Regina Ferrari


Desembargador

“O Poder Judiciário Acreano, perdeu uma das referências que muito contribuiu para distribuição de justiça. Deixou o marco no Tribunal de Justiça e na Universidade Federal Acreana. Infelizmente a vida é composta de ciclos, o desembargador Araken os cumpriu. É momento de despedida.  Deus confortará o coração e sentimentos dos familiares e dos mais próximos. Permanece a lembrança”

Desembargador Luis Camolez 


Desembargador Roberto Barros

“O desembargador e professor Jorge Araken foi um grande magistrado, professor e cidadão. Partilhou o prazer pelos estudos e seu inesgotável conhecimento, amor e dedicação pelo Direito, pelo Poder Judiciário Acreano e pelas Academias (UFAC etc.)”

Desembargador Roberto Barros


Postado em: Galeria, Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: GECOM Atualizado em 14/12/2020