Em busca de qualidade e celeridade, Comarca de Tarauacá supera desafio da Meta 2

Parcerias institucionais, planejamento de ações e compromisso de equipe garantiram bons resultados na Comarca

A Comarca de Tarauacá anunciou esta semana o pleno cumprimento da Meta 2 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o que significa dizer que as unidades da Comarca julgaram todos os processos ingressos até o final de 2005. O último processo de Meta 2 foi julgado na semana passada, conforme informação da Juíza de Direito Substituta Andrea Brito, que responde pela Comarca. Porém, o trabalho coordenado pela magistrada foi além.

Ao ser designada em abril deste ano para desempenhar suas funções jurisdicionais em Tarauacá, a Juíza encontrou 4.250 processos em andamento, sendo 44 desses diagnosticados como de Meta 2. Sete meses depois, a Comarca cumpriu o desafio de aplicar celeridade ao julgamento dos processos anteriores a 2005, mas sem prejudicar o julgamento dos processos mais recentes.

De acordo com a magistrada, a Comarca possui atualmente 3.773 feitos em tramitação. Ela revela que a busca incessante para alcançar o binômio qualidade-celeridade na prestação jurisdicional proporcionou às unidades judiciais de Tarauacá a superação do objetivo traçado pelo CNJ e reforçado pelo TJAC.

Esse sucesso é resultado de um esforço conjunto de instituições: do TJAC, Ministério Público, Defensoria Pública, OAB, Procuradoria do Estado e, em especial, dos nossos servidores”, explica a Juíza, acrescentando que para a realização do mutirão de Júris na Comarca o TJAC designou o Juiz Substituto Manoel Pedroga, cujo auxílio foi fundamental para o cumprimento da Meta 2.

Segundo Andrea Brito, o Ministério Público designou os Promotores de Justiça Vinícius Menandro Evangelista de Souza e Alekine Lopes dos Santos, ao mesmo tempo que a Defensoria Pública designou o Defensor Público Rogério Carvalho Pacheco para atuar no julgamento dos processos incluídos na meta.

A magistrada também destaca a contribuição da Promotora de Justiça Eliane Missae Kinoshita e do Defensor Público Paulo Michel São José, dos advogados Ítalo Feltrini, Lucivan Lima, Andresson Bonfim e Edson Craveiro que atuam na Comarca local. “A colaboração dos senhores advogados foi crucial, principalmente para a solução jurisdicional de lides que se arrastavam no tempo por mais de dez anos, como inventários distribuídos em datas anteriores a 1999”, afirma a Juíza.

As adversidades geográficas e estruturais não foram maiores do que a boa vontade e o entusiasmo dos servidores, que se esmeraram e não mediram esforços para alcançar o objetivo traçado”, enfatiza Andrea Brito, acrescentando que por meio de estratégias conjuntas, com o escopo de conferir racionalidade e celeridade aos serviços, buscou-se adotar práticas de gestão racional que resultassem no cumprimento da meta.

“Antes do início das atividades, reunidos os servidores, o desafio foi exposto, conscientizando a todos para a importância da mobilização, conclamando-os para o seu cumprimento. Frisou-se que todas as idéias deveriam ser compartilhadas com a equipe, valorizando iniciativas e planos de trabalho propostos. Enfim, a parceria e o planejamento foram os grandes instrumentos utilizados para vencer o desafio”, conclui a magistrada.

Para mais informações sobre a campanha pela Meta 2 no Judiciário Acreano, acesse o link especial sobre o tema disponível na página inicial do portal TJAC na Internet – www.tjac.jus.br.

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 18/12/2009