Conciliar é querer bem a você

“A conciliação é a forma mais rápida, transparente e que, de fato, alcança a pacificação social”, com esta declaração a Presidente da Comissão de Acesso à Justiça, Juizados Especiais e Conciliação do Conselho Nacional de Justiça, Conselheira Andréa Pachá, iniciou a reunião realizada na última quarta-feira, 05, em Brasília.

Magistrados, assessores de comunicação e técnicos de informática e estatística de vários Tribunais do país encontraram-se na Capital Federal para discutir e planejar a Semana Nacional de Conciliação, a ser promovida pelo CNJ de 1º a 5 de dezembro.

A Conselheira adiantou que o número de processos resolvidos por meio de acordos estarão na próxima edição do Justiça em Números, sistema de estatísticas do Judiciário elaborado pelo Conselho, o que tornará possível acompanhar o desempenho do Movimento pela Conciliação.

Na avaliação de Andréa Pachá, o Movimento deve assumir "o protagonismo de nossas ações ou seremos atropelados pela sociedade que exige respostas cada vez mais rápidas da Justiça". Por fim, lembrou ainda a importante parceria com o Ministério da Justiça na formação de agentes conciliadores.

Querer bem

Um dos objetivos da campanha publicitária deste ano é fortalecer a cultura de que “Conciliar é legal e faz bem a si mesmo” (tema) com o slogan “Conciliar é querer bem a você”. A campanha foi apresentada aos participantes da reunião, formada por aproximadamente 100 pessoas, entre juízes responsáveis pela conciliação, profissionais de comunicação e técnicos de informática e estatística dos Tribunais brasileiros.

Desenvolvida gratuitamente pela agência Link Propaganda, a campanha inclui cartilha, folders, camisetas e adesivos, que estarão disponíveis para download no endereço eletrônico www.cnj.jus.br. Também estão previstos comerciais para televisão que serão veiculados como utilidade pública em emissoras de televisão interessadas em apoiar a campanha da Semana Nacional da Conciliação.

Na mostra do trabalho desenvolvido pela Assessoria de Comunicação e Cerimonial do CNJ com a Agência CNJ de Notícias e com o programa Gestão Legal, veiculado diariamente pela Rádio Justiça, foi enfatizada a necessidade de divulgação dos benefícios da conciliação, com ênfase na cobertura de casos de acordos concretizados. Acredita-se que a melhor maneira de incentivar as pessoas a buscar o acordo é demonstrar exemplos bem sucedidos de conciliação.

Também houve exposições do trabalho da Rádio e TV Justiça, parceiras do CNJ na divulgação do Movimento pela Conciliação. A jornalista Giovana Cunha, coordenadora da TV Justiça, propôs a produção de uma série de matérias com depoimentos de pessoas que foram beneficiadas com acordos. Na palestra "Magistrado e Assessor de Comunicação: a dupla dinâmica da conciliação", a jornalista Madeleine Lacsko, coordenadora da Rádio Justiça, alertou para a necessidade de revelar o papel social do magistrado na tarefa de informar a sociedade, empregando uma linguagem simples e precisa nas informações repassadas à imprensa".

O histórico da Conciliação foi relatado pelos coordenadores do Movimento, desembargador Marco Aurélio Buzzi e juíza Mariella Nogueira. O juiz Mário Parente e a jornalista Vólia Rocha, ambos do Tribunal de Justiça do Ceará, apresentaram casos de sucesso obtidos durante a edição da Semana da Conciliação no ano passado.

O Sistema Informatizado da Conciliação, responsável por gerenciar os números diários obtidos durante a Semana, também foi apresentado durante a reunião, momento em que os técnicos do CNJ nas áreas de informática e de pesquisa judiciária, esclareceram as dúvidas sobre a utilização da ferramenta.

Para mais informações, visite o site oficial do Movimento pela Conciliação.

(Com informações da Agência CNJ de Notícias). 

 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 07/11/2008