Centro Cultural do Palácio da Justiça recebe exposição do artista Rivasplata

Intenção da atual gestão é de que o espaço assuma uma proposta de atividades de acesso aos bens culturais, e a divulgação da produção de múltiplas artes.

Em continuidade à nova dinâmica cultural por parte da atual gestão do Poder Judiciário, acontece até o dia 4 de maio, no Palácio da Justiça, no centro de Rio Branco, a exposição “Mini Esculturas em Cerâmica”, do artista Jorge Rivasplata e seus alunos.

A exposição mostra, além das obras do próprio artista, os trabalhos de seus alunos e traz o conhecimento e a reflexão para a arte e seu desdobramento na contemporaneidade. Estão, em média, 30 peças expostas que podem ser visitadas das 8h às 18h com entrada gratuita.

Com a nova dinâmica, a intenção é de que o Centro Cultural do Palácio da Justiça assuma uma proposta de atividades em que magistrados, servidores, operadores do Direito, colaboradores e, especialmente, os cidadãos sejam favorecidos com o acesso aos bens culturais, e a divulgação da produção de múltiplas artes.

Jorge Rivasplata é pintor, escultor, caricaturista, entalhador, ceramista, desenhista, professor de artes plásticas em sua própria Escola de Artes Rivasplata, em Rio Branco. O artista peruano é radicado há mais de vinte anos no Acre. Veio de família humilde e, ainda jovem, despertou para a pintura, tendo recebido um prêmio aos 14 anos, mas somente aos 47 conseguiu abraçar definitivamente as artes plásticas.

Diplomação

No Palácio da Justiça foi realizado ainda o I Encontro da Academia dos Poetas Acreanos. O evento, ocorrido na sexta-feira (31), teve homenagens e diplomação. Dois servidores do Tribunal de Justiça do Acre, por exemplo, foram diplomados pela relevância aos serviços prestados à entidade.

Na ocasião, um poema foi recitado pelo membro mais novo (em idade) da Academia. Trata-se do estudante Kaio Nascimento, de 11, da Escola Estadual Raimundo Gomes de Oliveira, que emocionou os presentes ao recitar o poema Ilusão, de sua própria autoria.

A presidente do Poder Judiciário, desembargadora Denise Bonfim, enfatiza que o Palácio da Justiça precisa ser utilizado com maior volume e diversificação de artes, para mostrar à sociedade o lado mais humanizado e sensível da Justiça.

“Nossa intenção é possibilitar que se promovam os melhores eventos possíveis dessa natureza. Queremos modernizar o empreendimento, na perspectiva de proporcionar maior acolhimento ao público em geral”, disse.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Ex. DIINS - Diretoria de Informação institucional Atualizado em 06/04/2017