‘Caso Baiano’: Os trabalhos na manhã desta segunda-feira (21)

Em clima de muita expectativa, teve início na manhã desta segunda-feira (21) o julgamento de três dos sete acusados de assassinar o mecânico Agilson Firmino dos Santos, o "Baiano". Hildebrando Pascoal Nogueira Neto, Adão Libório de Albuquerque e Alex Fernandes Barros são os primeiros a serem julgados pelo crime, que teve repercussão local, nacional e até internacional, e ficou conhecido como "crime da motosserra".

O acusado Pedro Pascoal Duarte Pinheiro Neto, que além de responder pelo mesmo crime também responde pelo assassinato do menor Wilder Firmino, filho de "baiano", e seria julgado hoje, enviou atestado médico nesta manhã comunicando que se encontra internado para tratamento de saúde.

Além desses, o Ministério Público Estadual também denunciou Amaraldo Uchôa Pinheiro, Aureliano Pascoal Duarte Pinheiro Neto, Sete Bandeira Pascoal e Alípio Vicente Ferreira por participação no chamado “crime da motosserra”. Os três primeiros tiveram seus processos desmembrados e serão julgados separadamente em outubro e novembro deste ano; no caso do terceiro, que faleceu durante o trâmite da ação, o processo foi arquivado.

Diante da alegação do réu Pedro Pascoal para não comparecer ao júri, o Juiz Leandro Gross, responsável pelo julgamento, determinou que o mesmo seja submetido a exames médicos por profissionais do Instituto Médico Legal, acompanhados pelo Conselho Regional de Medicina. O juiz também decidiu agendar o júri do réu em questão para a próxima segunda-feira (28) e logo na seqüência o julgamento do processo pelo qual ele responde pela morte de Wilder Firmino, anteriormente previsto para outubro.

Também no início dos trabalhos nesta manhã, das 27 testemunhas arroladas para depoimento, três informaram que não compareceriam: o desembargador aposentado do TJAC Gercino José da Silva, a defensora pública Maria Auxiliadora Queiroga e o comerciante Ney Roque.

A movimentação defronte ao Fórum Barão do Rio Branco, no Centro da Capital, onde acontece o julgamento, começou às primeiras horas da madrugada. Grande número de populares, familiares, imprensa e policiais se faz presente e a previsão é de que seja intensa a movimentação no local durante os três ou quatro dias de duração da sessão de julgamento.

Às 8h15 o Juiz Leandro Leri Gross iniciou a sessão. Primeiramente foram escolhidos os sete jurados que compõem o Conselho de Sentença. Em seguida, policiais militares que fazem a escolta conduziram os acusados até ao plenário, onde o magistrado leu a acusação feita pelo Ministério Público, que é representado no processo pelos Promotores de Justiça Leandro Portela, Rodrigo Curti e Álvaro Pereira.

A primeira testemunha a ser ouvida foi o policial civil José Alves da Costa, mais conhecido como "Zé Eloy". Em seguida, ainda na parte da manhã, o magistrado convocou a viúva de Agilson Firmino, Ivanilda Lima dos Santos, considerada uma das principais testemunhas de acusação do crime. Até às 17h35 desta segunda, 15 testemunhas foram ouvidas. A partir de agora serão ouvidos os réus. 

Veja a galeria de imagens da sessão de julgamento do Tribunal do Júri.

Leia mais:

 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 21/09/2009