Cantata de Páscoa: VEPMA promove atividade cultural com reeducandos

Muita música, alegria e superação marcaram a Cantata da Páscoa do Tribunal de Justiça do Acre. O evento aconteceu na última quarta-feira (4), nas escadarias do Palácio da Justiça, no centro de Rio Branco, com a presença de mais de vinte reeducandos do Coral Redenção, projeto idealizado e executado pela Vara de Penas e Medidas Alternativas (VEPMA) de Rio Branco.

A unidade judiciária desenvolve ações que fazem parte do programa Começar de Novo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Durante quase uma hora o maestro e advogado Otoniel Turí comandou as vozes que, além de hinos e louvores, entoaram também canções que falam sobre a superação. Ele também conduziu o fio narrativo da Cantata, interligando as canções com trechos e citações bíblicas que evocavam a ressurreição de Jesus.

Otoniel ressaltou o papel do Coral Redenção como instrumento de mudança na vida de seus integrantes. Ouça aqui.

Confira também trecho de “Via Dolorosa”, com o Coral Redenção O nome do coral, aliás, tem tudo a ver com o espírito da Páscoa, que em hebraico significa passagem, da escravidão para a liberdade.

Para o reeducando Arnaldo Oliveira, desde que surgiu, o coral foi e continua sendo de grande importância para aqueles que passaram pelo sistema prisional e que agora querem recomeçar suas vidas com dignidade e respeito, deixando de vez para trás os erros cometidos no passado.

Ele compara o coral redenção a uma porta – uma porta que conduz a um caminho há muito almejado: o retorno ao convívio social. Ouça aqui o depoimento na íntegra.

A juíza Maha Manasfi, titular da VEPMA, considera que a eficiência do trabalho de sua unidade não se resume ao cumprimento de despachos, mandados e decisões ou mesmo à mera fiscalização do cumprimento de penas.

Para a magistrada, é preciso ir além e oferecer oportunidades para que os egressos do sistema prisional possam reconhecer e desenvolver seus melhores talentos.

Segundo a magistrada, “esse trabalho é da maior importância porque o papel da Vara não se resume apenas à fiscalização da pena, mesmo porque a própria Lei de Execuções Penais prevê esse papel de reinserção social que cabe à Vara e o nosso coral vem para mostrar que essas pessoas também tem um lado bom a ser visto pela sociedade”.

Quem também esteve presente na Cantata de Páscoa foi o desembargador aposentado Lourival Marques que não perdeu a oportunidade para matar as saudades do Tribunal e ainda presenciar a bela apresentação do Coral Redenção.

Para Lourival Marques, são iniciativas como essa que o Tribunal precisa, uma vez que retiram os juízes de seus gabinetes e os colocam em contato direto com a sociedade; dessa vez, não para penalizar, mas para oferecer uma nova oportunidade.

O desembargador aposentado também aproveitou para elogiar a escolha do nome do Coral. Confira aqui a fala de Lourival Marques.

Representando o governador do estado, Tião Viana, também esteve presente na Cantata de Páscoa o procurador estadual, Davi Laerte.

Ele ressaltou que hoje o sistema prisional aposta em iniciativas como a realizada pelo Tribunal de Justiça, que busquem desenvolver as potencialidades dos detentos e prepará-los para o retorno ao convívio social. Clique aqui para ouvir a fala do procurador.

Também estiveram presentes na Cantata de Páscoa o juiz auxiliar da presidência do TJAC, Laudivon Nogueira, advogados, representantes do Rotary Internacional, além de servidores e pessoas que, curiosas, pararam para apreciar o evento.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 05/06/2015