Câmara Criminal realiza sessão inédita no Vale do Juruá

Pela primeira vez em sua história, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre realizou uma sessão no Vale de Juruá. Localizada a aproximadamente 630 km da Capital Rio Branco, a Comarca de Cruzeiro do Sul recebeu nesta sexta-feira (7) a visita dos membros que integram o Órgão Julgador: desembargador Pedro Ranzi (presidente) e desembargadores Denise Bonfim e Francisco Djalma (membros).

Eles apreciaram durante o período da manhã e da tarde um total de 17 processos que fazem parte da pauta de julgamento da sessão extraordinária, que aconteceu no auditório da Cidade da Justiça de Cruzeiro do Sul.

As instalações desse empreendimento serão entregues oficialmente neste sábado (8), Dia da Justiça, em solenidade conduzida pelo desembargador-presidente Adair Longuini e prestigiada pelos membros da Corte de Justiça Acreana, magistrados e servidores do Poder, além de convidados civis e militares de todo o Estado.

Homenagem

Antes de dar início aos trabalhos, Pedro Ranzi fez uma homenagem ao desembargador aposentado Lourival Marques. “É um gesto simples, mas de todo nosso coração, a alguém que fez tanto pela nossa Justiça e pelo nosso Estado. Advogado, juiz, desembargador, professor e tantos outros predicados lhe são inerentes, que se torna difícil condensar sua história nesse Poder. Para nós é uma honra tê-lo conosco e conviver com seus ensinamentos e sabedoria”, disse o presidente da Câmara Criminal.

Ao ser convidado à mesa da sessão de julgamento, ele foi saudado pelos demais desembargadores e outras autoridades presentes.

Em um discurso de tom memorialista, Lourival Marques descortinou um vasto painel do Judiciário Acreano, em que sintetizou um período de mais de 50 anos de história.

Ele agradeceu pela homenagem e revelou o significado de ter escolhido abraçar a magistratura acreana como missão. “Foi a melhor coisa que fiz, a melhor decisão da minha vida, depois de casar com minha mulher, com quem estou há mais de 50 anos.

A sessão

Os 17 processos julgados são oriundos das comarcas de Cruzeiro do Sul, Plácido de Castro e Mâncio Lima. As ações compõem diversos tipos de crimes, como violência doméstica contra a mulher, tráfico de drogas, estupro de vulnerável, roubo, receptação e homicídios.

“É uma maneira de homenagearmos a Cidade da Justiça, que será entregue amanhã, mas principalmente os nossos jurisdicionados locais. Nossa idéia foi de nos aproximarmos dos cidadãos, que podem assistir à sessão e entender como funciona o nosso trabalho. Também é uma forma de destacar que a Justiça precisa estar presente em todos os espaços e lugares”, explicou o desembargador Pedro Ranzi.

Membro do Ministério Público Estadual no julgamento, o procurador Álvaro Pereira enalteceu a iniciativa da Câmara Criminal. “É realmente louvável, e está dentro do que preconiza a Constituição, que a Justiça precisa atuar na perspectiva da interiorização e regionalização. Além disso, os advogados podem vir à sessão defender os seus clientes “, disse.

“É a primeira vez que tenho a oportunidade de fazer uma sustentação oral. É de grande valia esse tipo de iniciativa para nós advogados e também para as partes, disse Belquior Gonçalvez.

O advogado presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre do Vale do Juruá, João Tota Filho, considerou que “a sessão da Câmara Criminal em Cruzeiro é um momento de grande aprendizado para os operadores do Direito”.

Idealizador da proposta, Pedro Ranzi agradeceu ao desembargador-presidente Adair Longuini por ter acatado o pedido de realizar da sessão no Vale do Juruá, como forma de homenagear a inauguração da Cidade da Justiça, que acontece neste sábado.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Atualizado em 30/06/2015