3ª Vara Criminal de Rio Branco zera estoque de processos

“Sensação do dever cumprido. Não temos resíduo de processos atrasados e nenhum concluso para sentença nem para despacho”. A frase do Juiz de Direito Raimundo Nonato da Costa Maia, titular da 3ª Vara Criminal de Rio Branco, representa o liame entre a dedicação ao trabalho e o compromisso com a sociedade.

Além do cumprimento da Meta 2 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) – julgar todos os feitos distribuídos até 2005 -, também foram julgados os de 2006, 2007, 2008 e 2009. Apenas não foram sentenciados aqueles que, embora já tenham sido instruídos pelo juiz, dependem das alegações finais do Ministério Público e da Defensoria Pública.

O desafio de zerar o estoque processual, alcançado pela unidade judiciária, foi comemorado pelo magistrado e servidores neste mês de dezembro.

“Preparamos esta confraternização para nos reunirmos e compartilharmos esse ano tão vitorioso, fruto de uma vontade conjunta em implementar ações que tornassem nossa prestação jurisdicional eficiente e nos conduzisse a esse excelente resultado”, festejou Raimundo Nonato ao saudar os servidores, familiares, Promotor de Justiça e Defensor Público.

Segredo do Sucesso

De acordo com o magistrado, o segredo do sucesso na 3ª Vara Criminal é a conscientização da equipe de que o trabalho precisa ser feito da melhor forma possível. “Realizamos reuniões de planejamento, em que deixamos claro que somos pagos para prestar um serviço de qualidade. Nossa filosofia é uma unidade enxuta e em dia. É preciso, para isso, ter responsabilidade. Só se alcança um resultado como esse, quando o juiz é o primeiro a chegar e o último a sair – chegando às 8h da manhã e saindo tarde da noite”, enfatizou. O titular destacou, também, o fato de trabalhar há 6 anos com o mesmo Defensor Público, Gilberto Jorge Ferreira da Silva, o que torna as audiências mais céleres.

Dedicação dos servidores

“Não chegaria aonde chegamos sem o empenho dos servidores, que devem se sentir valorizados e responsáveis por este momento, o qual traduz o seu brio e profissionalismo em atender bem, tratando as pessoas com o respeito e dignidade que lhes são de direito”, completou o magistrado.

A escrivã Neide Macedo de Oliveira falou em nome dos demais servidores. “Todos nós vestimos a camisa e nos comprometemos em realizar um trabalho bem feito, e dar uma resposta à sociedade”, afirmou.

Para mais informações sobre a campanha pela Meta 2 no Judiciário Acreano, acesse o link especial sobre o tema disponível na página inicial do portal TJAC na Internet – www.tjac.jus.br.

 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 23/12/2009