15ª Edição do Mais Arte apresenta a exposição ‘Técnicas e Misturas’

O Presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Desembargador Pedro Ranzi, conduziu no Palácio da Justiça, no Centro de Rio Branco, a abertura da 15ª edição do Projeto Mais Arte, que apresenta “Técnicas e Misturas”. A exposição reúne trabalhos dos artistas plásticos Edmar Graça e Ueliton Santana, bem como dos fotógrafos Eva Nagl e Franz Tagore.

Ao proceder com a abertura de mais uma edição do Mais Arte, o Desembargador-Presidente enalteceu a contribuição do projeto. “Desde o início desta gestão à frente do Tribunal, temos nos cingido com essa iniciativa, porque ela valoriza o talento de artistas locais e até internacionais, como hoje. Nossa visão é disseminar a arte e a cultura, indispensáveis à boa formação de um povo. E principalmente facilitar o acesso da população aos trabalhos desses artistas”, destacou.

O artista plástico Edmar Graça, pioneiro no uso da técnica de machetaria com serragem, agradeceu pela oportunidade. “Só tenho que agradecer por esse espaço, que possibilita que as pessoas conheçam meu trabalho e que se interessem por ele. O que quero mostrar é que é possível transformar o que seria lixo em arte”, ressaltou.

Pela primeira vez na história, o Mais Arte assume uma perspectiva internacional. Ocorre que a fotógrafa Eva Nagl nasceu em Viena, Áustria, e tem percorrido o mundo no afã de registrar personagens, paisagens e culturas diversas. “Apontamos um novo olhar sobre o mundo, que é diferente, pois não é comercial, e sim mais sensível, mais humano. Por isso, registramos o cotidiano das pessoas, tentando capturar seu estado de espírito’, explicou a fotógrafa austríaca. 

Os trabalhos ficarão expostos ao público até o dia 2 de janeiro, no Palácio da Justiça, na Rua Benjamin Constant, nº 277.

Exposição Mitos da Amazônia

Na mesma ocasião, Pedro Ranzi também declarou aberta a exposição “Mitos da Amazônia”, de Amarina Prado – que corresponde, no prédio do Tribunal de Justiça, à 16ª edição do Projeto Mais Arte. Gaúcha da cidade de Sant’Ana do Livramento, a artista plástica realiza viagens visitando museus das principais capitais do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Peru e Estados Unidos – em busca de constante aprimoramento em suas técnicas.

Amarina Prado disse que os trabalhos de pintura “Mitos da Amazônia” reflete as matizes que colorem sua preocupação com o meio-ambiente – tema dos mais relevantes na atualidade. A exposição da gaúcha estará aberta ao público também até o dia 2 de janeiro, na Rua Floriano Peixoto, 460, Centro.

 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 30/11/2010