TJAC e Cruz Vermelha definem recebimento e distribuição de suprimentos à vítimas de enchente

Equipes de ajuda humanitária chegaram hoje para acompanhar as ações de ajuda nos municípios atingidos pela enchente após trasbordamentos de rios e igarapés

A presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargadora Waldirene Cordeiro, recebeu nesta terça-feira, 23, o presidente Nacional da Cruz Vermelha Brasileira, Julio Cals, para tratar do recebimento e fluxo de distribuição dos suprimentos que chegarão nos próximos dias para atender às vítimas da alagação.

A Cruz Vermelha está com equipe no estado para desenvolver também outras ações nos municípios atingidos, assim como a equipe do Voz das Comunidades, coordenada pelo jornalista Rene Silva, responsável pela mediação da instituição de ajuda humanitária com a campanha SOS Acre, realizada pelo Ministério Público do Acre em parceria com o Tribunal de Justiça.

Rene junto a acreana Gleici Damasceno e a escritora de novelas Glória Perez, foram os responsáveis pela divulgação nacional da campanha, em uma articulação com diversos artistas e digital influecers.

Serão 48 toneladas de materiais distribuídos entre equipamentos de proteção individual à COVID-19, medicamentos e produtos de higiene. Os suprimentos devem chegar entre os dias 24 e 25, em aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), em atendimento ao pedido do TJAC feito à senadora Mailza. Ela articulou a aeronave da FAB via Ministério da Saúde.

Organização

Para maior segurança no armazenamento desses materiais, o comitê de logística formado pelo TJAC para alinhar fluxos dessa campanha social, articulou parceria com o 4º BIS, que apoiará o Poder Judiciário Acreano no recebimento, contagem e distribuição dos suprimentos para o interior.

Articulação também foi feita com a Associação dos Municípios do Acre (AMAC), que somará esforços com o TJAC na distribuição das doações nas cidades prejudicadas pelas águas. A distribuição será acompanhada dos juízes de Direito.

Na reunião, a presidente do TJAC agradeceu pelas doações da Cruz Vermelha Brasileira e falou da importância da união de instituições e da sociedade em geral neste momento delicado em que o Acre se encontra. Ela também ressaltou sobre a confiança em todo o procedimento.

“Estamos vivenciando várias crises simultâneas. O Acre passa por situação muito delicada, enfrentando tantas adversidades ao mesmo tempo. Estamos gratos pela ajuda de todos e essa mobilização nacional. São muitas pessoas necessitadas e precisando urgente de ajuda”, ressaltou.

Julio Cals explicou sobre a atuação da Cruz Vermelha Brasileira no cumprimento de sua missão humanitária, enfatizou a solidariedade da equipe com as vítimas da enchente e ainda se colocou à disposição na esperança de atenuar o mais breve possível o sofrimento humano.  

Já o jornalista Rene Silva, disse que ao ser informado da tragédia que o Acre enfrenta, imediatamente mobilizou os colegas e que se sente satisfeito em poder ajudar a tantas pessoas neste momento de dificuldade.

SOS Acre

O estado do Acre tem ganhado atenção nacional devido a uma série de crises simultâneas: o agravamento da pandemia do coronavírus, o surto de dengue, crise migratória e enchente. Pelo menos dez cidades estão tomadas pelas águas.

A campanha, idealizada pelo Ministério Público do Acre (MPAC), em parceria com o TJAC, ganhou a adesão de alguns artistas, digital influencers locais e nacionais, além do apoio do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª região (Rondônia e Acre), Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 14ª Região (Amatra14), o Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho de Rondônia e Acre (Sinsjustra), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra). O Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais dos Estados e da União (CNPG) também manifestou apoio à iniciativa, que é coordenada pelo Grupo Especial de Apoio e Atuação para Prevenção e Resposta a Situações de Emergência ou Estado de Calamidade Devido à Ocorrência de Desastres (GPRD) do MPAC.

Desafios

Com quase 55 mil casos confirmados e perto de mil mortes, a pandemia do coronavírus tem levado ao colapso o sistema de saúde local, com falta de leitos e médicos para atender a grande demanda, o que fez as autoridades retomarem o estado de alerta máxima.

Soma-se a esse quadro a explosão no número de infectados por dengue, sobrecarregando ainda mais os serviços de saúde e seus profissionais.

As fortes e ininterruptas chuvas que castigam todo o estado neste período invernoso preocupam ainda mais. Com o transbordamento de rios e igarapés, algumas cidades já se encontram parcialmente submersas e milhares de famílias desabrigadas, a exemplo de Cruzeiro do Sul, Feijó, Tarauacá e Sena Madureira.

Na fronteira com o Peru, a cidade de Assis Brasil vive uma crise humanitária envolvendo imigrantes retidos. Enfrentando dificuldades para abrigar essas pessoas, o município decretou estado de calamidade pública.

Doações

As doações para a campanha podem ser feitas em dinheiro por transferência ou depósito bancário (Ag.: 2359-0 / Conta Corrente: 14.300-6), ou (PIX: 63.589.899/0001-40).

Em Rio Branco e no interior, o MPAC está recebendo alimentos, água potável, roupas e material de limpeza. O Tribunal de Justiça do Acre também está mobilizando campanha de arrecadação de doações entre servidores e magistrados.  

 

 

 

 

 

 

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:, , , ,

Fonte: Atualizado em 24/02/2021